Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Pós-Reforma da Previdência: poupar para garantir futuro

Escrito por: Paula Vieira em 7 de novembro de 2019

No dia 23 de outubro, foi aprovada a nova Previdência. Ela define como regra para aposentadoria a idade mínima de 62 anos para mulheres e 65 para homens dos setores público e privado.

O tempo mínimo de contribuição passou a ser de 15 anos para mulheres e 20 para homens que atuam na iniciativa privada.

Por outro lado, no setor público é de 25 anos para os dois, exigindo ao menos dez anos de carreira e cinco no cargo.

Novas regras para aposentadoria
Novas regras para aposentadoria começam a valer com a Reforma da Previdência

Quem pagar o mínimo do tempo, vai receber 60% do valor médio de todos os salários que sofreram descontos da contribuição. Quando passar deste período, serão somados dois pontos percentuais por ano de contribuição.

A fim de entender os impactos que a reforma pode gerar na vida do brasileiro e o melhor caminho para planejar o futuro, o FinanceOne conversou com a representante da agenda de Educação Financeira da Superintendência de Seguros Privados (Susep), Adriana Toledo.

Como se planejar para a aposentadoria

Hoje, o brasileiro vive 76 anos em média. O que também é um fator que motivou a reforma da previdência.

Porém, é comum pessoas idosas se endividarem devido a saúde ou para ajudar a família, o que mostra a necessidade de se planejar para poupar a vida toda.

“A educação financeira tem o propósito de levar a diretriz de poupar para a população. O ideal, pensando na aposentadoria, é poupar desde o primeiro ano de trabalho”, afirmou Adriana.

Para garantir conforto no futuro, o primeiro passo é colocar no papel quanto você ganha e equalizar com quanto gasta.

Uma dica para quem recebe acima do teto do Regime Geral é diversificar investimentos, além de pesquisar por produtos de mercado de seguros voltados para a aposentadoria, como PGBL e VGBL, que tratam de seguro de vida e previdência aberta, por exemplo.

No site da Susep e no Meu Futuro Seguro é possível, por meio do CNPJ das instituições supervisionadas, consultar o desempenho dos fundos de investimento previdenciários.

Com o número do processo Susep do plano o consumidor também pode simular valores de renda de produtos como PGBL e VGBL.

Endividado? Saiba como sair do buraco

Se você está endividado e não sabe por onde começar, é hora de replanejar o seu orçamento e se livrar das armadilhas do estímulo de consumo, pensando o que realmente precisa comprar.

Além da Superintendência de Seguros Privados (Susep), entidades como o Banco Central (BCB), a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), disponibilizam, gratuitamente, várias ferramentas, que ajudam a educar o consumidor para que ele se livre do endividamento.

O material oferecido pela Susep é o Guia de Orientação e Defesa do Consumidor, que conta com diversas cartilhas.

Além dele, está disponível para download o livro TOP Planejamento Financeiro Pessoal, produzido pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em parceria com a Associação de Planejadores Financeiros (PLANEJAR) e colaboração dos técnicos da Susep.

A obra, que aborda todos os temas da educação financeira, contou com a participação da autarquia na revisão dos capítulos sobre previdência e gestão de riscos.

Outro material bastante rico sobre o tema é o do programa Cidadania Financeira, do BCB, que disponibiliza diversos conteúdos gratuitos na internet.

Confira outros pontos abordados na conversa com a representante da Superintendência de Seguros Privados:

Reformas tributária e administrativa são necessárias’

Além da reforma da previdência, o governo pretende realizar a administrativa e tributária.

De acordo com Adriana Toledo, há decretos que instruem todos os órgãos da Administração Federal, como a Susep a economizar gastos públicos por meio da simplificação e desburocratização de suas atividades.

“A estrutura organizacional da Casa foi revista. Reduzimos o número de funções comissionadas, elevamos níveis estratégicos, criamos diretoria específica para o mercado de seguros privados que a Autarquia regula, também revimos todos os contratos em vigor”, detalhou.

“A estrutura organizacional da Casa foi revista. Reduzimos o número de funções comissionadas, elevamos níveis estratégicos, criamos diretoria específica para o mercado de seguros privados que a gente regula, também revimos contratos e folha de pagamento”, detalhou Adriana.

Mercado de seguros está otimista para mudanças

A Susep está prestes a encerrar o prazo da consulta pública para o Sandbox Regulatório.

Ele abre portas para a entrada de novos produtos no mercado com tecnologia diferenciada, aliada à redução de preços ao consumidor.

Como por exemplo, os seguros personalizados, que podem ser contratados com apólices temporárias.

Essa é uma das formas que a entidade utiliza para incentivar a concorrência e a inovação no mercado de seguros.

No site da Susep e no Meu Futuro Seguro há uma ferramenta para o consumidor acompanhar os planos PGBL e VGBL.

Por meio desse número, a entidade avalia a qualidade do produto, a confiabilidade da empresa e a rentabilidade do plano.

Susep no combate de fraudes de seguros privados

A Susep conta com uma área de fiscalização de conduta. Além disso, está em andamento uma parceria com a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) para fortalecer o atendimento ao público.

O papel da Superintendência de Seguros Privados, por sua vez, não é agir diretamente na defesa do consumidor, mas monitorar a conduta do mercado para melhorar esta relação com consumidor.

Por outro lado, passar o problema para a pasta que atende especificamente esse público enquanto busca a solução com a seguradora que responde pelo produto.

A entidade tem um canal de atendimento ao público pela internet e pelo telefone 0800 0218484. As reclamações registradas são enviadas às ouvidorias das empresas.

A entidade oferece atendimento ao público pela internet e pelo telefone 0800 0218484. As reclamações registradas são enviadas à ouvidoria das empresas.

Caso a seguradora não resolva o problema, o consumidor pode abrir um processo na Susep, que vai iniciar uma investigação sobre a conduta da empresa.

Se houver comprovação da irregularidade, portanto, a empresa será multada.

Paula Vieira

Jornalista formada pela UNESA, com passagens pelo Jornal Lance! e INFO4. Atualmente, exerço as funções de analista de conteúdo na Afilio e repórter no FinanceOne.

Deixe uma resposta

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

Imposto de Renda
Redução de salário
coronavoucher
Mineração de criptomoedas
render seu dinheiro