Início Notícias Mercado Cambial Variação do dólar: por que a moeda sobe e desce tanto?

Variação do dólar: por que a moeda sobe e desce tanto?

5
(2)

A variação do dólar entre janeiro e junho deste ano foi de 32,5%. Em 2020, a moeda norte-americana fechou acima dos R$ 5 pela primeira vez e quase chegou aos R$ 6.

Há muitos fatores que explicam esse fenômeno, tanto nacionais quanto internacionais.

Em âmbito global, estes são os aspectos que influenciam a variação do dólar atual:

  • Impacto do coronavírus na economia mundial;
  • Guerra comercial intermitente entre EUA e China;
  • Fortalecimento da economia norte-americana;
  • Instabilidade política na América Latina;
  • Insegurança mundial de uma possível recessão;
  • Queda dos preços das commodities.

Já no contexto nacional, estes são os fatores-chave que impulsionam a alta do dólar:

  • Mínima histórica dos juros no Brasil (taxa Selic em 2%);
  • Instabilidade econômica após a crise de 2014 e com a pandemia do novo coronavírus;
  • Baixo crescimento;
  • Mudanças políticas.

Vale ressaltar que a cotação do dólar deve fechar o ano em R$ 4,35, de acordo com o Banco Central.

Para 2021, a expectativa é que a moeda americana continue no patamar alto e encerre o ano em R$ 4,20.

O poder de influência do dólar

Os Estados Unidos têm a economia mais forte do mundo. Por isso, o dólar é a moeda mais relevante e é utilizada como base para a maioria das operações comerciais, por exemplo, aquelas realizadas no âmbito do comércio exterior.

Esse critério já evidencia que a moeda americana interfere em vários aspectos do dia a dia dos brasileiros. É o caso do impacto no poder de compra do brasileiro, já que os produtos importados ficam mais caros.

Da mesma forma, commodities e matérias-primas também têm seu preço aumentado. Como é preciso pagar mais para ter acesso a eles, o valor cobrado pelo item final também se eleva. Esse aspecto é verificado todos os dias no mercado.

Conheça os tipos de dólar

Antes de entender o os impactos da variação do dólar, deve-se saber que existem três tipos dessa moeda. São eles:

1 – Comercial

Considerado a cotação real, é aquela usada como base para as operações comerciais, como as de exportação e importação.

É utilizado para outras movimentações, como empréstimos de brasileiros em outros países. Essas transações são registradas no Banco Central.

2 – Turismo

Você, muito provavelmente, fica atento a variação do dólar por causa do dólar Turismo. É a moeda utilizada para viagens ou compras no exterior.

Ela é adquirida em casa de câmbio ou em instituições financeiras. Tem aplicação de juros.

Por isso, é mais cara que a alternativa oficial. Ainda sofre incidência de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e custos logísticos.

Assim, o valor varia de acordo com o estabelecimento em que a operação será realizada.

3 – Paralelo

É a única modalidade não oficial. Foi utilizada no passado, mas atualmente é ilegal.

Sua aplicação é realizada apenas por doleiros e casas de câmbio sem autorização do Banco Central. Por suas características, é o dólar mais caro e sempre deve ser evitado.

Impacto da variação do dólar na economia brasileira

O impacto da alta do dólar na economia brasileira é sentido em vários setores do mercado e pelos consumidores.

A variação do dólar sofre interferência de diferentes motivos

1 – Encarecimento das viagens ao exterior

O primeiro impacto da alta do dólar sentido pelo consumidor é o aumento dos preços das viagens ao exterior.

Afinal, o câmbio influencia diretamente os gastos em dólar, preço das passagens e combustíveis, afetando primeiramente a indústria do turismo.

Para quem pretende viajar para fora, é melhor preparar o bolso.

2 – Repasse de variação cambial

Um dos aspectos mais preocupantes da alta do dólar é o repasse da variação cambial para os preços e para a inflação.

Ou seja, se a moeda americana continuar avançando, esse fenômeno pode pesar no bolso do consumidor.

3 – Reajuste de produtos nacionais

Os reajustes de preços causados pela alta do dólar também atingem os produtos nacionais. E, não apenas os itens importados ou que utilizam matérias-primas de fora.

A explicação é que os produtores nacionais preferem exportar para aproveitar a moeda mais cara.

Ao mesmo tempo, os que vendem internamente aumentam suas margens de lucro para compensar o encarecimento dos produtos importados.

4 – Mais competitividade nas exportações

Do lado dos impactos positivos da alta do dólar na economia brasileira está o aumento da competitividade das exportações. No entanto, existe outro lado: muitos custos da indústria também são dolarizados.

Ou seja, seus insumos e investimentos são pagos em dólar. Então, o impacto acaba sendo duplo e pode absorver a alta da moeda americana sem aumentar tanto os lucros dos exportadores.

5 – Efeitos no crescimento econômico

Em tese, a desaceleração é um impacto da alta do dólar na economia brasileira.

Com a alta do dólar, muitas pessoas ficam interessadas em investir na moeda. Você sabe como fazer esse processo?

Então confira como começar a investir em dólar.

O que achou disso?

Deixei sua classificação

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Seja o primeiro a avaliar este post.

Rafael Massadar
Carioca, amante de esportes e de viagens. Escolhi o jornalismo porque ele vive pelo mundo e conta histórias de pessoas e realidades distintas. Tenho experiência em redação e assessoria de imprensa. Atualmente, trabalho numa agência de marketing digital.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Eleições dos EUA: qual impacto para Economia do Brasil?

Faltam poucos dias para as eleições dos EUA. Na disputa estão: o republicano Donald Trump, atual presidente do país, e o democrata...

Dicas de planejamento financeiro para quem é autônomo

Ser um profissional autônomo não quer dizer que você pode ter as finanças bagunçadas. Mesmo que você não tenha uma renda fixa por mês,...

Conheça 10 franquias com investimentos de até R$10 mil

A pandemia do novo coronavírus fez com que a procura por microfranquias aumentasse. Em especial, as franquias de até R$10 mil.

Quais são os gastos para manter um carro próprio?

Muitos brasileiros sonham em ter o carro próprio, mas esquecem dos gastos que um veículo pode trazer. E isso acontece porque a...

Como escolher a rede social para seu negócio?

Você sabe como escolher a rede social ideal para o seu negócio? Qual irá fazer a sua empresa crescer e se tornar...

Cartões de crédito sem anuidade: veja os 14 melhores

Procurando por cartões de crédito sem anuidade? Eles conquistaram, definitivamente, espaço na economia brasileira. De acordo com a pesquisa realizada pelo SPC Brasil, cerca de...