InícioNotíciasMercado CambialVariação do dólar: entenda por que a moeda sobe e desce tanto

Variação do dólar: entenda por que a moeda sobe e desce tanto

4.3
(3)

A variação do dólar entre janeiro e junho deste ano foi de 32,5%. Em 2020, a moeda norte-americana fechou acima dos R$ 5 pela primeira vez e quase chegou aos R$ 6.

Há muitos fatores que explicam esse fenômeno, tanto nacionais quanto internacionais.

Em âmbito global, estes são os aspectos que influenciam a variação do dólar atual:

  • Impacto do coronavírus na economia mundial;
  • Guerra comercial intermitente entre EUA e China;
  • Fortalecimento da economia norte-americana;
  • Instabilidade política na América Latina;
  • Insegurança mundial de uma possível recessão;
  • Queda dos preços das commodities.

Já no contexto nacional, estes são os fatores-chave que impulsionam a alta do dólar:

  • Mínima histórica dos juros no Brasil (taxa Selic em 2%);
  • Instabilidade econômica após a crise de 2014 e com a pandemia do novo coronavírus;
  • Baixo crescimento;
  • Mudanças políticas.

Vale ressaltar que a cotação do dólar deve fechar o ano em R$ 4,35, de acordo com o Banco Central.

Para 2021, a expectativa é que a moeda americana continue no patamar alto e encerre o ano em R$ 4,20.

O poder de influência do dólar

Os Estados Unidos têm a economia mais forte do mundo. Por isso, o dólar é a moeda mais relevante e é utilizada como base para a maioria das operações comerciais, por exemplo, aquelas realizadas no âmbito do comércio exterior.

Esse critério já evidencia que a moeda americana interfere em vários aspectos do dia a dia dos brasileiros. É o caso do impacto no poder de compra do brasileiro, já que os produtos importados ficam mais caros.

Da mesma forma, commodities e matérias-primas também têm seu preço aumentado. Como é preciso pagar mais para ter acesso a eles, o valor cobrado pelo item final também se eleva. Esse aspecto é verificado todos os dias no mercado.

Conheça os tipos de dólar

Antes de entender o os impactos da variação do dólar, deve-se saber que existem três tipos dessa moeda. São eles:

1 – Comercial

Considerado a cotação real, é aquela usada como base para as operações comerciais, como as de exportação e importação.

É utilizado para outras movimentações, como empréstimos de brasileiros em outros países. Essas transações são registradas no Banco Central.

2 – Turismo

Você, muito provavelmente, fica atento a variação do dólar por causa do dólar Turismo. É a moeda utilizada para viagens ou compras no exterior.

Ela é adquirida em casa de câmbio ou em instituições financeiras. Tem aplicação de juros.

Por isso, é mais cara que a alternativa oficial. Ainda sofre incidência de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e custos logísticos.

Assim, o valor varia de acordo com o estabelecimento em que a operação será realizada.

3 – Paralelo

É a única modalidade não oficial. Foi utilizada no passado, mas atualmente é ilegal.

Sua aplicação é realizada apenas por doleiros e casas de câmbio sem autorização do Banco Central. Por suas características, é o dólar mais caro e sempre deve ser evitado.

Impacto da variação do dólar na economia brasileira

O impacto da alta do dólar na economia brasileira é sentido em vários setores do mercado e pelos consumidores.

A variação do dólar sofre interferência de diferentes motivos

1 – Encarecimento das viagens ao exterior

O primeiro impacto da alta do dólar sentido pelo consumidor é o aumento dos preços das viagens ao exterior.

Afinal, o câmbio influencia diretamente os gastos em dólar, preço das passagens e combustíveis, afetando primeiramente a indústria do turismo.

Para quem pretende viajar para fora, é melhor preparar o bolso.

2 – Repasse de variação cambial

Um dos aspectos mais preocupantes da alta do dólar é o repasse da variação cambial para os preços e para a inflação.

Ou seja, se a moeda americana continuar avançando, esse fenômeno pode pesar no bolso do consumidor.

3 – Reajuste de produtos nacionais

Os reajustes de preços causados pela alta do dólar também atingem os produtos nacionais. E, não apenas os itens importados ou que utilizam matérias-primas de fora.

A explicação é que os produtores nacionais preferem exportar para aproveitar a moeda mais cara.

Ao mesmo tempo, os que vendem internamente aumentam suas margens de lucro para compensar o encarecimento dos produtos importados.

4 – Mais competitividade nas exportações

Do lado dos impactos positivos da alta do dólar na economia brasileira está o aumento da competitividade das exportações. No entanto, existe outro lado: muitos custos da indústria também são dolarizados.

Ou seja, seus insumos e investimentos são pagos em dólar. Então, o impacto acaba sendo duplo e pode absorver a alta da moeda americana sem aumentar tanto os lucros dos exportadores.

5 – Efeitos no crescimento econômico

Em tese, a desaceleração é um impacto da alta do dólar na economia brasileira.

Com a alta do dólar, muitas pessoas ficam interessadas em investir na moeda. Você sabe como fazer esse processo?

Então confira como começar a investir em dólar.

O que achou disso?

Média da classificação 4.3 / 5. Número de votos: 3

Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

Diga-nos, como podemos melhorar?

Assine nossa newsletter!

Páginas Populares

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui