Conversor de moedas

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Como começar a investir no mercado financeiro

Escrito por: Redação em 15 de outubro de 2018

Iniciantes do mercado financeiro costumam ter muitas perguntas e hesitar a cada nova informação. Será que é muito arriscado investir no mercado financeiro? Para onde vai o meu dinheiro quando invisto em ações? Como monitorar as movimentações do mercado?

Pode ser um assunto estressante. As opções de investimento são inúmeras e a linguagem do mercado financeiro também é muito própria, então se você não entende os termos e jargões, tudo fica mais difícil. Mas ao mesmo tempo, esforçar-se para dominar a área pode gerar bons frutos, ampliando seu poder financeiro.

investir no mercado financeiro capa

Felizmente, algumas das opções de investimento são largamente acessíveis para iniciantes, além de terem baixo nível de risco. Algumas informações básicas são suficientes para lhe auxiliar a escolher o investimento ideal e ampliar sua renda.

Por isso, a Adzuna reuniu os termos mais comuns do mercado e os melhores tipos de investimento para atender suas necessidades. Boa leitura!

O idioma financeiro

O primeiro passo para iniciar um novo aprendizado é compreender a linguagem utilizada na área. A forma como as pessoas se comunicam e os termos mais comuns lhe colocam na direção certa para dominar o setor de interesse.

Observe as palavras-chave abaixo e faça as anotações que achar necessárias:

Ações: representam uma fração do capital social de uma empresa. É como comprar parte dela, por isso possuir determinados tipos de ações concede certos privilégios ao proprietário, como poder de voto em assembleias deliberativas, por exemplo.

Ações “blue chips” ou “de 1ª linha”: ações de grande procura no mercado por serem de empresas tradicionais, de grande porte/âmbito nacional e excelente reputação.

Ações “de 2ª e 3ª linha”: frações de instituições de grande e médio portes e médio e pequeno portes, respectivamente.

Ativos (termo também muito utilizado em inglês: Assets): bens, direitos e valores de uma empresa ou pessoa.

BDI (Boletim Diário de Informações): atualização diária relativa às movimentações do mercado e índices da Bovespa.

Bear Marketmercado em baixa ou onde se espera queda dos preços; contrário de bull market.

Bonificações: corresponde à distribuição de novas ações para os atuais acionistas.

Break-even: quando o valor investido iguala o gerado pela ação. Ou seja, é o momento em que não há nem lucro nem prejuízo.

Mas existem diversos outros termos e expressões além dos citados, então uma pesquisa mais ampla é sempre válida. Leia artigos ou mesmo fale com pessoas que já investem ou possuem conhecimento sobre o mercado. Envie perguntas em blogs e tente entender a dinâmica o melhor possível antes de dar os próximos passos.

Tipos de investimentos

Aqui, listaremos os investimentos mais simples e mais complexos para que você saiba quais exigirão mais ou menos estudo antes de investir seu capital.

Os mais simples são os que apresentam menos risco de perda, por isso são uma boa forma de iniciar no mercado financeiro e desenvolver seu conhecimento a partir daí.

Veja as opções a seguir!

Simples

1. Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)

Funciona assim: você “empresta” um valor para uma instituição financeira que vai investir no mercado agrícola com o seu patrocínio. Esse investimento vai gerar um lucro por meio da taxa de juros, o qual você poderá retirar quando estiver satisfeito.

Por ter uma rentabilidade fixa e, consequentemente, risco baixo, a LCA torna-se um investimento ideal para iniciantes.

2. Certificado de Depósito Bancário (CDB)

Funciona da mesma forma que a LCA: você faz um empréstimo a uma instituição financeira e ela devolve seu investimento ao fim do contrato adicionado dos juros que gerou ao longo daquele tempo.

Existem 3 tipos de investimento quando se trata do CDB:

pré-fixado: o juros que gerará sua renda ao fim do contrato  é definido no início do processo.

pós-fixado: não tem uma taxa estipulada no início, mas sim uma rentabilidade relacionada normalmente à taxa Selic.

– e a modalidade em que o lucro depende da inflação da economia do país em questão.

Diferente da LCA, o CBD possui tempos de investimentos mais variados.

3. Letra de Câmbio (LC)

Ainda na categoria “renda fixa e baixo risco”, a Letra de Câmbio baseia-se no tempo de capital investido, ou seja, as financeiras para um juros para o investidor que depende do tempo em que o mesmo deixou o dinheiro investido.

4. Tesouro Direto

Provavelmente o investimento de menor risco e, por isso, mais popular entre iniciantes. É um empréstimo feito para o governo, que coloca o capital em obras de infraestrutura, por exemplo, e não deve ser movimentado pelo investidor até o fim do contrato. Assim, a rentabilidade é garantida.

Avançados

1. Ações

Todo mundo fala em ações, mas investir nelas pode ser um pouco mais complexo do que parece à primeira vista. Lidar com a compra de frações de empresas exige que o investidor esteja disposto a aprender não apenas sobre o mercado financeiro, mas também sobre a empresa na qual está investindo.

Qual é a posição dela no mercado, quais são os principais concorrentes, qual é seu modelo de negócio, entre outras informações que tornam o seu investimento mais seguro.

Além disso, quem compra ações precisa ter bom senso sobre o montante correto a investir e determinação para aprender (e não desistir) com os erros.

Existem corretoras que auxiliam os acionistas  e você pode contratar uma para monitorar as oscilações da Bolsa de Valores e controlar seu dinheiro. Ao escolher uma corretora, é importante prestar atenção no tempo de atuação da mesma e sua reputação entre os clientes.

Mas não esqueça que, no fim, é o seu dinheiro que está em jogo, então não fique totalmente dependente da corretora. Acompanhe o mercado e seu capital de perto e frequentemente. Essa é também uma forma de avaliar o trabalho da própria corretora.

2. Contratos futuro

Representa a compra de commodities (produtos que funcionam como matéria-prima, produzidos em escala e que podem ser estocados sem perda) pelo investidor, que as mantém por um tempo e no futuro as revende.

Caso a commodity adquirida tenha valorizado, você obtém lucro com a venda. Caso contrário, acaba perdendo dinheiro. Por isso é um investimento arriscado.

3. Certificado de Operações Estruturadas (COE)

As “operações estruturadas” definem a compra de uma diversidade de investimentos no mesmo título, tanto de renda fixa, quanto variável.

Essa pluralidade pode diminuir os riscos, mas o COE não é segurado pelo fundo garantidor de crédito. Por isso, no fim pode ser que você não faça qualquer lucro, mas pelo menos o valor investido inicialmente sempre é devolvido.

São várias as opções de ampliação da sua renda mensal com investimentos no mercado financeiro. Mas como qualquer movimento que você faça com seu dinheiro, exige muita atenção, pesquisa e, em seguida, ponderação sobre as melhores escolhas para atender suas necessidades.

Então, tenha essas possibilidades em mente e comece com um valor baixo. Observe a movimentação do mercado e a dinâmica de um investimento. E aumente o valor gradualmente.

E não esqueça da regra de ouro da Adzuna: nunca invista mais do que pode!

Este artigo foi produzido por uma parceria com o blog da Adzuna.

Redação

Criado em 2003, o FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa.

Deixe uma resposta

Posts relacionados

Mercado de debêntures cresce em 2018
financiar um imóvel
aplicativos para investidores
2019 melhor ano financeiro