Conversor de moedas Transferência internacional

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Como diminuir o valor da parcela de um financiamento?

Escrito por: Priscila Gomes em 14 de fevereiro de 2019

Diminuir o valor da parcela de um financiamento é um problema com solução muito viável. A maioria dos clientes que contratam este tipo de crédito ainda não sabem como, mas é simples.

Confira o que é um e como diminuir o valor da parcela de um financiamento para evitar os altos juros gerados na dívida.

diminuir o valor da parcela de um financiamento

Entenda o financiamento

Financiar um investimento é prática antiga entre clientes bancários, que buscam uma ajuda para custear seus gastos, que podem ser os mais diversos: desde educacionais a imobiliários.

O financiamento se trata basicamente de um crédito que só pode ser fornecido por bancos, financeiras e cooperativas de crédito, no qual essa instituição financeira custeia todo o gasto do cliente.

Este, por sua vez, assume uma dívida não com o fornecedor do bem que foi adquirido, mas com o banco ou financeira.

Essa dívida é paga de forma decrescente, de modo que o valor das parcelas reduz conforme elas vão sendo pagas. Geralmente, esse tipo de crédito fornece a possibilidade de longos prazos para o pagamento da dívida.

Contudo, a juros determinados em contrato, o que faz com que o valor a ser pago, por vezes, se torne muito oneroso, pois as parcelas se tornam maiores, e a expectativa de quitação da dívida, menor.

Esta operação, ao contrário do empréstimo, possui destino já definido em contrato, então o cliente realiza o pedido tendo um objetivo pré-definido.

Para que serve o financiamento?

O financiamento serve para qualquer coisa! Mas os financiamentos mais comuns são os imobiliários e de veículos, justamente por representarem os anseios mais comuns da maioria dos brasileiros.

Ao que tudo indica a conquista da casa própria, por exemplo, já está mais facilitada neste ano, isto porque o Banco Central anunciou que as taxas médias de mercado para este tipo de financiamento diminuíram 2,4% entre 2017 e 2018.

A tendência de quem usa um financiamento para custear um bem de alto valor é naturalmente se surpreender com a quantidade de parcelas e os juros que são mensais, aplicados diretamente nas prestações.

Ou seja, quanto mais tempo se passa, maiores podem ser os juros.

Um dos fatores que podem afetar as taxas é a inflação. Por essas razões, falando de forma mais básica, o cliente deve escolher a menor quantidade possível de parcelas na hora de negociar seu financiamento.

É sob esse aspecto é que as instituições financeiras lucram com esse tipo de negociação.

Confira abaixo um levantamento do G1 sobre as taxas para financiamento de imóvel residencial em 2019:

diminuir o valor da parcela de um financiamento

Se o cliente tem condições financeiras para arcar com alguns custos extras o recomendável é não prolongar o pagamento dessa dívida e dessa forma diminuir o valor da parcela do financiamento.

Por isso, especialistas recomendam a amortização das parcelas.

Como diminuir o valor da parcela de um financiamento

A amortização é um processo simples e consiste em realizar o pagamento de uma dívida, quitá-la, depreciar as parcelas a fim de zerar as contas.

De uma forma resumida, amortizar as parcelas do financiamento significa pagá-las. Este processo deve ser feito de trás para frente, ou seja, a partir das parcelas finais.

Dessa maneira, o contratante do financiamento encurta as parcelas e evita a geração de juros no futuro, que podem decorrer da alta da inflação.

diminuir o valor da parcela de um financiamento

Uma vantagem nesta opção é o fato de que as parcelas têm seus valores cada vez mais reduzidos até o fim da dívida, o que faz com que o cliente pague menos para amortizar e já retire essa parcela, reforçando a ideia da atenuação do tempo de pagamento e dos juros que seriam gerados em cima dela.

Uma alternativa seria solicitar ao banco o aumento do valor das parcelas a fim de reduzir a quantidade delas. Contudo, para quem pode se comprometer e pagar mais parcelas em vez de adotar esse método paliativo, a amortização segue sendo a melhor forma de economizar a longo prazo e pagar menos no valor final do financiamento.

De qualquer modo, é importante entender que um financiamento permite a conquista de um bem ou um sonho, mas também exige que o contratante esteja bem organizado financeiramente para isso.

A orientação principal é não comprometer mais de 30% dos ganhos totais em dívidas, seja de quaisquer naturezas (financiamento, cartão de crédito, consórcio, etc).

Além disso, uma excelente dica é ter uma conta bancária com entradas mensais vinculada ao banco no qual se fez o financiamento, isto porque este é considerado um crédito de alto risco, visto que há poucas garantias de pagamento por parte do contratante – isso explica os juros altos.

Portanto, quando um cliente vinculado ao banco, que recebe entradas mensais (pode ser decorrente de salário, por exemplo), decide solicitar o financiamento, há maiores possibilidades de se obter este crédito a juros menores, pois o banco se preserva pela confiança no cliente.

O que mais você deseja saber para diminuir o valor da parcela de um financiamento? 

Priscila Gomes

Jornalista. Gosto de abraços, aniversários e do Natal. Atualmente produzo conteúdo para internet e faço assessoria sindical.

Deixe um comentário

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

emprestar-o-cartão-de-crédito
Como identificar (e fugir) de um esquema de pirâmide?
cartão-de-crédito-consignado-sem-anuidade
voos cancelados da Avianca
consórcio de dinheiro