Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

8 formas de conseguir um investidor para o seu negócio

Escrito por: Rafael Massadar em 24 de julho de 2018

Conseguir um investidor para o seu negócio pode ser o pontapé para ele decolar. Mas onde encontrar esse investidor?

Antes de correr até um banco e pedir um empréstimo, pergunte-se se é extremamente necessário. Muitas vezes seu negócio não vai suportar os juros oferecidos. Por isso, avalie se ele não tem mais nenhuma possibilidade de crescer por conta própria.

Outra opção é verificar se algum investidor teria interesse em injetar capital no seu projeto. Porém, tenha em mente que para conseguir um é necessário um plano de negócio bem estruturado.

Existem diversos tipos de investidores que podem ajudá-lo. São eles: sócio, empréstimo, crowdfunding, investidor anjo, entre outros. Portanto, para decidir qual é o melhor para o seu negócio, é preciso analisar quais das opções é a mais viável.

E não é impossível! De acordo com o Centro de Estudos de Capital de Risco da FGV (GVCepe), só em 2017 foram investidos US$ 3,1 bilhões em empresas brasileiras. Quase metade foi para empresas em estágio inicial de desenvolvimento.

conseguir um investidor

Elabore um plano de negócios

Com um plano de negócios completo e bem elaborado fica mais fácil conseguir um investidor. Assim, na hora da apresentação do seu negócio, você passará muito mais credibilidade e o tornará muito mais atrativo.

Com o plano de negócios, o investidor verá com muita mais clareza o planejamento da sua empresa. Ele entenderá como é o funcionamento e o processo organizacional. Assim, ele vai saber em quanto tempo as ações que serão tomadas visando ao crescimento da empresa terão efeito.

O que deve ser definido no plano de negócios?

1 – Variáveis de marketing (produto, preço, comunicação, distribuição e público-alvo);

2 – Projeções financeiras (custos fixos e custos variáveis, custos de produção, custos com capital humano);

3 – Análise da concorrência;

4 – Pontos fortes e fracos;

5 – Missão, visão e valores da organização;

6 – Oportunidades e ameaças;

7 – Diferenciais em relação à concorrência, entre outros.

Como conseguir um investidor para o seu negócio

São oito as principais formas de conseguir um investidor para o seu negócio. Elas são adequadas a diferentes fases da empresa.

1 – 3Fs

Muito comum no Brasil. Os Fs são a sigla em inglês para “amigos, família e doidos”. Você não vai arrecadar muito dinheiro com essas pessoas, é verdade. O que pode ser bom. É uma boa forma de testar se o seu negócio tem potencial de ir para a frente.

2 – Investidor Anjo

São pessoas físicas, em geral empresários de sucesso, dispostos a investir em negócios inovadores que estão em fase inicial. Ou seja, empresas que já têm um produto ou serviço com potencial, mas que ainda precisam viabilizar o início de suas operações comerciais.

Muitas vezes são grupos de empresários (as redes de anjos) para canalizar esforços. O investidor anjo não necessariamente vai fazer parte da empresa. Até porque startups muitas vezes nem tem divisão com diretoria e conselho bem definidos.

3 – Capital semente

É usado em uma fase logo após a do investidor anjo. Os valores investidos são próximos (na casa dos R$ 500 mil). E as empresas que recebem este aporte também estão em fase inicial.

A diferença é que já têm uma ação de mercado um pouco mais definida, com uma carteira de clientes, e alguma definição um pouco melhor sobre seu modelo de negócios.

4 – Venture capital

É um nível mais complexo. São fundos de investimento regulados pela Comissão de Valores Imobiliários que reúnem o dinheiro de vários investidores para aplicar em empresas com alto potencial de crescimento. Em geral busca empresas que já faturam bem, mas que têm potencial de crescer muito, de forma muito rápida.

Esses investidores investem entre R$ 2 milhões e R$ 10 milhões, em geral em troca de uma participação na empresa. Ao final do período de investimento, o fundo vende de volta sua participação para a própria empresa ou para outros fundos.

5 – Private equity

São fundos maiores, que olham para grandes empresas, que em geral faturam mais de R$ 100 milhões ao ano. Normalmente buscam empresas que estão em processo de consolidação no mercado, muitas vezes com o objetivo de prepará-las para abrir capital na bolsa ou para fusões e aquisições.

6 – Incubadora

Se a sua ideia de negócio for uma startup, mas ela ainda está prematura e precisa ser lapidada antes de receber um aporte financeiro, é possível fazer isso dentro de uma incubadora. As incubadoras são ligadas a instituições de ensino e universidades que apoiam os empreendedores novatos.

7 – Aceleradora

As aceleradoras são uma espécie de evolução das incubadoras. Elas escolhem startups com grande potencial de crescimento e oferecem apoio financeiro, estrutura, consultoria e treinamento em troca de uma participação no capital da nova empresa. Há no Brasil uma série de aceleradoras, como a Oxigênio, da Porto Seguro.

8 – Empréstimo bancário

Esta é a opção mais clássica e talvez a primeira que vem à cabeça de muitos novos empreendedores. Mas não se engane: ela geralmente é a mais cara.

Bancos de fomento como o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e bancos públicos como o Banco do Brasil, além de instituições privadas como o Santander, Itaú e Bradesco, costumam ter linhas destinadas a pequenas e médias empresas recém-nascidas.

Rafael Massadar

Jornalista com experiência em redação com pós-graduação em Comunicação Empresarial e Transmídia. Atualmente trabalho como assessor de imprensa.

Deixe uma resposta

Posts relacionados

sucesso
Como sacar FGTS e outras dúvidas
aplicativos de carona
hábitos dos investidores inteligentes
aposentadoria compulsória