Cursos que transformam sua vida financeira
Mais
    InícioNotíciasFinanças PessoaisDia do amigo: confira dicas financeiras para morar com amigos

    Dia do amigo: confira dicas financeiras para morar com amigos

    4.8
    (4)

    Neste dia 20 de julho, é considerada a data internacional do Dia do Amigo. Por isso, a pergunta da vez é: você já pensou ou planejou morar com amigos? Quem nunca teve essa vontade?

    Publicidade

    Esse desejo sempre surge com o mesmo objetivo: reduzir os custos, poupar e, é claro, ter companhia.

    Entretranto, essa é uma decisão que deve ser pensada e repensada várias vezes. Isso porque existem muaitas vantagens, mas também desvantagens – que vão impactar diretamente na sua rotina.

    Quando se mora sozinho, você é o único a arcar com gastos como água, luz, telefone, internet, taxa condominial, entre outros.

    Portanto, se o dinheiro ainda é curto, seu orçamento pode acabar mais comprometido do que o imaginado, e isso pode se tornar um problema futuro.

    Em contrapartida, ao morar com os amigos, esses custos gerais são somados e divididos por todos.

    Publicidade

    Logo, dá para administrar melhor a sua renda e os gastos mensais sem passar sufoco.

    Além disso, a compra de móveis e eletrodomésticos para áreas de convívio, como sala, varanda e cozinha, também será compartilhada.

    morar com amigos
    Morar com amigos requere disciplina e organização, principalmente quando o assunto é finanças.

    O que definir antes de ir morar com amigos?

    Avalie bem o perfil da pessoa que vai dividir apartamento/casa com você.

    Às vezes, escolher um amigo muito próximo e que tenha características opostas às suas não é a melhor opção.

    Uma boa convivência é importante nos momentos de aperto financeiro.

    Publicidade

    Ao escolher o bairro para morar, prefira um lugar que seja próximo de onde você trabalha ou estuda, e onde tenha bastante comércio.

    Assim, por se deslocar menos, você gasta pouco com o transporte no dia a dia.

    Caso essa região seja muito valorizada, faça as contas para ver qual a diferença de gasto com a escolha de um imóvel mais afastado.

    Renda extra para outras despesas

    Outra vantagem de morar com amigos em um apartamento é alugar os quartos que estão desocupados para conseguir uma renda extra.

    Com ela, você complementa seu orçamento mensal e consegue uma maior independência financeira.

    Publicidade

    Assim, você consegue quitar suas despesas pessoais. Além de ainda utilizar o que sobrar para investir ou iniciar um consórcio para comprar um carro zero, por exemplo.

    Algumas dicas financeiras para morar com amigos

    É possível que você encontre locais que já estão mobiliados quando for morar com amigos.

    Nesse caso, aproveite todos os móveis, já que eles estão inclusos no valor pago mensalmente.

    Se o imóvel estiver vazio, compre os móveis, utensílios domésticos e objetos de decoração em lojas baratas ou em promoções.

    As lojas varejistas e os brechós são boas opções para economizar.

    Você pode, também, consultar seus amigos e familiares para ver se eles não têm itens sobrando em casa.

    Ao comprar os móveis, é importante que cada integrante da casa pague por um artigo, para que, na hora da divisão, não seja necessário separar os valores. Cada um fica com o que pagou.

    Quanto às contas, o ideal, em todos os casos, é que os valores sejam divididos igualmente.

    Quando houver consumos diferentes, é importante que as pessoas os comprem separadamente, principalmente se forem caros.

    No entanto, quando as contas estiverem ficando muito altas, faça uma reunião com o colega para encontrar a causa do problema e tentar solucioná-lo.

    Coliving é uma alternativa

    O coliving é uma forma de moradia na qual os moradores, geralmente inquilinos, têm um quarto exclusivo para si na casa.

    No entanto, dividem as demais áreas, como cozinha, varanda, quintal e, em alguns casos, o banheiro.

    Essa alternativa surgiu na década de 1960, na Dinamarca. Ela é inspirada no modelo de cohousing.

    Rapidamente se espalhou pela Europa, Canadá e Estados Unidos.

    Hoje, os tipos de moradia que caracterizam o coliving são:

    1 – Roam – você paga pelo aluguel de um quarto que pode ser desfrutado em diferentes partes do mundo, todos ligados à empreiteira proprietária;

    2 – República – talvez a forma mais conhecida no Brasil, se limita a estudantes e pode contar com a presença do proprietário no imóvel;

    3 – Flatsharing – pessoas de origens e finalidades diferentes se juntam em uma casa sem a presença do proprietário, tendo maior autonomia.

    Das três modalidades, o flatsharing, que é equivalente ao cohousing, é o que tem mais chamado atenção.

    Justamente pelo nomadismo digital das gerações mais jovens, entre os 20 e 30 anos, e que têm uma relação menos fixa com trabalho e moradia.

    Gostou deste texto? Então continue a sua leitura aqui no site e veja como cobrar aquele dinheiro que foi emprestado a amigos.

    *Colaboração: Mateus Carvalho

    O que achou disso?

    Média da classificação 4.8 / 5. Número de votos: 4

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?

    Rafael Massadar
    Rafael Massadar
    Carioca, amante de esportes e de viagens. Escolhi o jornalismo porque ele vive pelo mundo e conta histórias de pessoas e realidades distintas. Tenho experiência em redação e assessoria de imprensa. Atualmente, trabalho numa agência de marketing digital.

    Artigos Relacionados

    Assine nossa newsletter!

    Páginas Populares

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    InícioNotíciasFinanças PessoaisDia do amigo: confira dicas financeiras para morar com amigos

    Dia do amigo: confira dicas financeiras para morar com amigos

    4.8
    (4)

    Neste dia 20 de julho, é considerada a data internacional do Dia do Amigo. Por isso, a pergunta da vez é: você já pensou ou planejou morar com amigos? Quem nunca teve essa vontade?

    Publicidade

    Esse desejo sempre surge com o mesmo objetivo: reduzir os custos, poupar e, é claro, ter companhia.

    Entretranto, essa é uma decisão que deve ser pensada e repensada várias vezes. Isso porque existem muaitas vantagens, mas também desvantagens – que vão impactar diretamente na sua rotina.

    Quando se mora sozinho, você é o único a arcar com gastos como água, luz, telefone, internet, taxa condominial, entre outros.

    Portanto, se o dinheiro ainda é curto, seu orçamento pode acabar mais comprometido do que o imaginado, e isso pode se tornar um problema futuro.

    Em contrapartida, ao morar com os amigos, esses custos gerais são somados e divididos por todos.

    Publicidade

    Logo, dá para administrar melhor a sua renda e os gastos mensais sem passar sufoco.

    Além disso, a compra de móveis e eletrodomésticos para áreas de convívio, como sala, varanda e cozinha, também será compartilhada.

    morar com amigos
    Morar com amigos requere disciplina e organização, principalmente quando o assunto é finanças.

    O que definir antes de ir morar com amigos?

    Avalie bem o perfil da pessoa que vai dividir apartamento/casa com você.

    Às vezes, escolher um amigo muito próximo e que tenha características opostas às suas não é a melhor opção.

    Uma boa convivência é importante nos momentos de aperto financeiro.

    Publicidade

    Ao escolher o bairro para morar, prefira um lugar que seja próximo de onde você trabalha ou estuda, e onde tenha bastante comércio.

    Assim, por se deslocar menos, você gasta pouco com o transporte no dia a dia.

    Caso essa região seja muito valorizada, faça as contas para ver qual a diferença de gasto com a escolha de um imóvel mais afastado.

    Renda extra para outras despesas

    Outra vantagem de morar com amigos em um apartamento é alugar os quartos que estão desocupados para conseguir uma renda extra.

    Com ela, você complementa seu orçamento mensal e consegue uma maior independência financeira.

    Publicidade

    Assim, você consegue quitar suas despesas pessoais. Além de ainda utilizar o que sobrar para investir ou iniciar um consórcio para comprar um carro zero, por exemplo.

    Algumas dicas financeiras para morar com amigos

    É possível que você encontre locais que já estão mobiliados quando for morar com amigos.

    Nesse caso, aproveite todos os móveis, já que eles estão inclusos no valor pago mensalmente.

    Se o imóvel estiver vazio, compre os móveis, utensílios domésticos e objetos de decoração em lojas baratas ou em promoções.

    As lojas varejistas e os brechós são boas opções para economizar.

    Você pode, também, consultar seus amigos e familiares para ver se eles não têm itens sobrando em casa.

    Ao comprar os móveis, é importante que cada integrante da casa pague por um artigo, para que, na hora da divisão, não seja necessário separar os valores. Cada um fica com o que pagou.

    Quanto às contas, o ideal, em todos os casos, é que os valores sejam divididos igualmente.

    Quando houver consumos diferentes, é importante que as pessoas os comprem separadamente, principalmente se forem caros.

    No entanto, quando as contas estiverem ficando muito altas, faça uma reunião com o colega para encontrar a causa do problema e tentar solucioná-lo.

    Coliving é uma alternativa

    O coliving é uma forma de moradia na qual os moradores, geralmente inquilinos, têm um quarto exclusivo para si na casa.

    No entanto, dividem as demais áreas, como cozinha, varanda, quintal e, em alguns casos, o banheiro.

    Essa alternativa surgiu na década de 1960, na Dinamarca. Ela é inspirada no modelo de cohousing.

    Rapidamente se espalhou pela Europa, Canadá e Estados Unidos.

    Hoje, os tipos de moradia que caracterizam o coliving são:

    1 – Roam – você paga pelo aluguel de um quarto que pode ser desfrutado em diferentes partes do mundo, todos ligados à empreiteira proprietária;

    2 – República – talvez a forma mais conhecida no Brasil, se limita a estudantes e pode contar com a presença do proprietário no imóvel;

    3 – Flatsharing – pessoas de origens e finalidades diferentes se juntam em uma casa sem a presença do proprietário, tendo maior autonomia.

    Das três modalidades, o flatsharing, que é equivalente ao cohousing, é o que tem mais chamado atenção.

    Justamente pelo nomadismo digital das gerações mais jovens, entre os 20 e 30 anos, e que têm uma relação menos fixa com trabalho e moradia.

    Gostou deste texto? Então continue a sua leitura aqui no site e veja como cobrar aquele dinheiro que foi emprestado a amigos.

    *Colaboração: Mateus Carvalho

    O que achou disso?

    Média da classificação 4.8 / 5. Número de votos: 4

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?