Inflação baixa: por que seu bolso não sente? | FinanceOne
FinanceOne

Onde suas finanças começam!

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Inflação baixa: por que seu bolso não sente?

Inflação baixa. Você deve se perguntar: onde? Difícil entender essa matemática do governo no dia a dia. A gasolina, a eletricidade e a conta do mercado são alguns itens que aumentam constantemente.

Quase tudo aumenta o preço. Mesmo assim o governo sustenta que a inflação está caindo. É o caso do último relatório de Mercado Focus divulgado pelo Banco Central (BC). Ele mostra que o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) caiu pela quarta semana consecutiva, de 3,81% para 3,73%. Segundo o mesmo relatório, há um mês, estava em 3,95%.

O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1) – inflação percebida pelas famílias de baixa renda – anunciado pela Fundação Getulio Vargas (FGV) também recuou. A instituição afirma que a inflação para as famílias com renda entre 1 e 2,5 salários mínimos apresentou variação de -0,01%, taxa 0,51 ponto percentual abaixo da apurada em janeiro.

Já o Índice Geral de Preços–Disponibilidade Interna (IGP-DI), também apresentado pela FGV, desacelerou. Ele apresentou uma alta de 0,15% em março ante 0,58% no mês anterior. Isso após a queda dos preços de alimentos no varejo e da fraqueza dos produtos industriais no atacado.

inflação baixa

Inflação baixa não é sentida por causa do desemprego

André Braz FGV
André Braz, economista da FGV

O economista do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da FGV, André Braz, explica que a taxa de desemprego no Brasil continua muito alta e que a queda na renda de quem continuou empregado é um dos principais motivos para a falta de percepção da queda da inflação.

Braz lembra que o último índice de desemprego no Brasil apresentado pelo IBGE  mostra que 12,7 milhões de pessoas estão desempregadas no país.

Em relação à queda do preço dos alimentos, André Braz observa que a Safra agrícola de 2017 foi melhor do que se esperava, o que contribuiu para a queda do preço dos alimentos. “O Índice de Preços ao Consumidor Amplo [IPCA] veio com uma taxa negativa na alimentação, que é o item de maior peso nas famílias de baixa renda”, afirma.

No entanto, o economista questiona os aumentos de outros produtos e serviços. Segundo ele, quando analisamos outros grupos, como saúde, transportes e educação, percebe-se que eles tiveram acumulado acima da meta (4,5%).

Economista diz que números não devem se repetir

André Braz alerta que a crise hídrica de 2015 e 2016 fez com que o preço dos alimentos subissem muito. Por esse motivo, de acordo com o especialista, o feijão subiu 50%. “Naquela época a alimentação subiu 10%, quase. O ano de 2017 foi um ano de devolução. O agricultor, de olho nos preços altos de 2015 e 2016, plantou mais e foi brindado com um tempo bom. Mas dificilmente isso vai se repetir em 2018”, alerta o economista da FGV.

Já o pesquisador e porta-voz do Indicador de Expectativa de Inflação da FGV, Pedro Costa Ferreira, explica que o descolamento entre a inflação e o IPCA é histórico. Principalmente porque a inflação oficial medida pelo IBGE é uma grande cesta de produtos — hoje são 373 — que nem sempre condizem com a realidade das famílias.

“Estamos falando de uma grande média geral, enquanto cada lar tem a sua própria inflação, pois consome produtos e serviços específicos. Isso vale para muitos outros países”, ressalta Ferreira.

Salário mínimo foi corrigido abaixo da inflação

O reajuste do salário mínimo em 2018 foi de apenas 1,81%. Ele passou para R$ 954, mas na verdade deveria ser reajustado para R$ 956,40 para seguir o que determina a legislação. Isso porque o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) em 2017 foi de 2,07%.

A Lei nº 13.152, de julho de 2015, determina a atualização do benefício com aplicação da variação acumulada do INPC. Isso faz com que o salário mínimo tenha uma valorização real.

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora







Mais lidos

Cartões de crédito sem anuidade: veja os 10 melhores
Procurando cartões de crédito sem anuidade? Eles definitivamente conquistaram o seu espaço na eco ...
Trabalhar em casa: 28 profissões para ganhar dinheiro
Trabalhar em casa e ganhar dinheiro no conforto do lar é um sonho para muitas pessoas. No Brasil, o ...
Cartão de crédito com aprovação imediata existe?
Quem não quer ter um cartão de crédito hoje em dia para realizar as compras? Muitas instituiçõe ...
10 marcas mais valiosas do mundo em 2018
O ano está chegando quase no fim e as empresas não param de crescer. Para se ter uma ideia, a  p ...
Os jogadores mais bem pagos do mundo em 2018
Quem são os jogadores mais bem pagos do mundo? Muito provavelmente você vai responder Cristiano Ro ...




Ebook do FinanceOne

Ebook gratuito investidor iniciante

Quer investir mas não sabe como? O Guia Completo do Investidor Iniciante traz os primeiros passos para você começar a investir e ganhar dinheiro!

BAIXAR AGORA!

Publicidade


 

Guias

Calculadoras