Cursos que transformam sua vida financeira
Mais
    InícioNotíciasInvestimentosO que são Fundos Imobiliários de tijolo? Vale a pena investir? Entenda!

    O que são Fundos Imobiliários de tijolo? Vale a pena investir? Entenda!

    0
    (0)

    Se você está chegando agora no universo dos investimentos, os Fundos podem te deixar um pouco confuso, afinal são vários tipos e cada um deles tem subtipos. Entre eles, estão os Fundos Imobiliários de tijolo.

    Publicidade

    Vamos aos poucos.

    Fundos de investimento, caso ainda não saiba, são aplicações em grupo. Vários investidores aplicam cotas em um único fundo, que é gerenciado por um administrador, e os lucros são divididos entre todos eles.

    Mas existem vários tipos: fundos multimercado, fundos de renda fixa e de renda variável, fundos de NFT, até mesmo Fundos de Fundos. 

    Mas os mais famosos são os Fundos Imobiliários (FII), quando os recursos dos investidores são todos aplicados em empreendimentos imobiliários. E dentro desta categoria você ouvirá falar dois “subtipos”: fundos de papel e fundos de tijolo.

    O que são Fundos Imobiliários de tijolo?

    Fundos Imobiliários de tijolo são investimentos de renda variável que aplicam o patrimônio em imóveis comerciais. O apelido “de tijolo” é dado porque essas aplicações são realizadas, prioritariamente, em imóveis físicos.

    Publicidade

    É diferente do que acontece em FIIs de papel, por exemplo, no qual as aplicações são realizadas em títulos relacionados ao mercado imobiliário, como Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e Letras de Crédito Imobiliário (LCI).

    Como aplicam diretamente nos imóveis físicos, esses FIIs podem obter retorno de duas formas. 

    A primeira é com a valorização das cotas, ou seja, dependendo do ganho de capital da negociação na bolsa.

    A segunda, é o aluguel que o fundo paga. Esses tipos de fundos são obrigados a distribuir 95% do lucro líquido, semestralmente. 

    Os imóveis desses FIIs podem englobar vários setores, desde agências bancárias, passando por lajes corporativas, galpões logísticos, até hospitais, shoppings centers, escolas etc. Inclusive imóveis rurais.

    Publicidade

    Assim como outros tipos de fundos, os FIIs de tijolo permitem aplicar no setor imobiliário, que é um dos favoritos dos investidores brasileiros, sem se expor diretamente, e diversificando a carteira.

    O que são fundos de desenvolvimento?

    Nesse universo dos Fundos Imobiliários de tijolo, a maioria dos FIIs tem o objetivo de rentabilizar por meio do aluguel dos imóveis. 

    Porém, há também os fundos de desenvolvimento, cuja estratégia consiste em obter lucros com a venda do imóvel no futuro. Nesses casos, o gestor pode investir em projetos antes ou durante a fase de construção.

    Vários prédios com cifrões em verde no topo
    Fundos Imobiliários de tijolo são opções para quem procura renda a longo a prazo

    Vale a pena investir em Fundos Imobiliários de tijolo?

    É importante salientar que Fundos Imobiliários de tijolo são aplicações de renda variável, portanto recomendados para perfis de investidores mais arrojados. Para saber se vale a pena, é necessário entender o que se deseja com essa aplicação. 

    Para ficar mais fácil decidir, listamos alguns prós e contras.

    Publicidade

    Vantagens:

    • Correção anual dos aluguéis normalmente segue a inflação
    • Tem menor oscilação de preços em comparação com outros ativos de renda variável
    • Possibilita investir no mercado imobiliário (vários setores) com menos dinheiro

    Desvantagens:

    • Taxa de vacância – relação entre os espaços vagos de um imóvel e os espaços disponíveis para locação
    • No médio prazo, a valorização é menor se comparada a ações, por exemplo
    • Dependendo do fundo e quais imóveis possui, pode não ter uma boa estratégia de diversificação

    No geral, os Fundos Imobiliários de tijolo são recomendados para quem quer renda constante e a longo prazo. Por exemplo: para viver de renda no futuro, construir sua independência financeira, para aposentadoria etc.

    + Perguntas e respostas sobre investimento em fundos imobiliários

    Como investir em FIIs de tijolo?

    Para investir em Fundos Imobiliários de tijolo basta ter uma conta em uma corretora de valores. Existem várias no mercado brasileiros e, se você é investidor, com certeza já está cadastrado em uma. 

    Na plataforma de investimentos da instituição, você pode pesquisar um Fundo usando o código de negociação. É recomendável pesquisar indicações de especialistas e, lógico, avaliar se o fundo está de acordo com a sua estratégia de investimento. 

    Alguns pontos importantes para avaliar na hora de escolher um FII de tijolo são:

    • o setor (ou setores) dos imóveis do fundo 
    • histórico da gestora
    • qual a liquidez do fundo 
    • Dividend Yield
    • preço
    • qualidade do patrimônio

    O conteúdo ajudou? Então compartilhe com outros amigos investidores e deixe sua dúvida nos comentários! Leia também:

    O que achou disso?

    Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?

    Tamires Silva
    Tamires Silva
    Jornalista e Redatora do FinanceOne, onde suas finanças começam.

    Artigos Relacionados

    Assine nossa newsletter!

    Páginas Populares

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    InícioNotíciasInvestimentosO que são Fundos Imobiliários de tijolo? Vale a pena investir? Entenda!

    O que são Fundos Imobiliários de tijolo? Vale a pena investir? Entenda!

    0
    (0)

    Se você está chegando agora no universo dos investimentos, os Fundos podem te deixar um pouco confuso, afinal são vários tipos e cada um deles tem subtipos. Entre eles, estão os Fundos Imobiliários de tijolo.

    Publicidade

    Vamos aos poucos.

    Fundos de investimento, caso ainda não saiba, são aplicações em grupo. Vários investidores aplicam cotas em um único fundo, que é gerenciado por um administrador, e os lucros são divididos entre todos eles.

    Mas existem vários tipos: fundos multimercado, fundos de renda fixa e de renda variável, fundos de NFT, até mesmo Fundos de Fundos. 

    Mas os mais famosos são os Fundos Imobiliários (FII), quando os recursos dos investidores são todos aplicados em empreendimentos imobiliários. E dentro desta categoria você ouvirá falar dois “subtipos”: fundos de papel e fundos de tijolo.

    O que são Fundos Imobiliários de tijolo?

    Fundos Imobiliários de tijolo são investimentos de renda variável que aplicam o patrimônio em imóveis comerciais. O apelido “de tijolo” é dado porque essas aplicações são realizadas, prioritariamente, em imóveis físicos.

    Publicidade

    É diferente do que acontece em FIIs de papel, por exemplo, no qual as aplicações são realizadas em títulos relacionados ao mercado imobiliário, como Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e Letras de Crédito Imobiliário (LCI).

    Como aplicam diretamente nos imóveis físicos, esses FIIs podem obter retorno de duas formas. 

    A primeira é com a valorização das cotas, ou seja, dependendo do ganho de capital da negociação na bolsa.

    A segunda, é o aluguel que o fundo paga. Esses tipos de fundos são obrigados a distribuir 95% do lucro líquido, semestralmente. 

    Os imóveis desses FIIs podem englobar vários setores, desde agências bancárias, passando por lajes corporativas, galpões logísticos, até hospitais, shoppings centers, escolas etc. Inclusive imóveis rurais.

    Publicidade

    Assim como outros tipos de fundos, os FIIs de tijolo permitem aplicar no setor imobiliário, que é um dos favoritos dos investidores brasileiros, sem se expor diretamente, e diversificando a carteira.

    O que são fundos de desenvolvimento?

    Nesse universo dos Fundos Imobiliários de tijolo, a maioria dos FIIs tem o objetivo de rentabilizar por meio do aluguel dos imóveis. 

    Porém, há também os fundos de desenvolvimento, cuja estratégia consiste em obter lucros com a venda do imóvel no futuro. Nesses casos, o gestor pode investir em projetos antes ou durante a fase de construção.

    Vários prédios com cifrões em verde no topo
    Fundos Imobiliários de tijolo são opções para quem procura renda a longo a prazo

    Vale a pena investir em Fundos Imobiliários de tijolo?

    É importante salientar que Fundos Imobiliários de tijolo são aplicações de renda variável, portanto recomendados para perfis de investidores mais arrojados. Para saber se vale a pena, é necessário entender o que se deseja com essa aplicação. 

    Para ficar mais fácil decidir, listamos alguns prós e contras.

    Publicidade

    Vantagens:

    • Correção anual dos aluguéis normalmente segue a inflação
    • Tem menor oscilação de preços em comparação com outros ativos de renda variável
    • Possibilita investir no mercado imobiliário (vários setores) com menos dinheiro

    Desvantagens:

    • Taxa de vacância – relação entre os espaços vagos de um imóvel e os espaços disponíveis para locação
    • No médio prazo, a valorização é menor se comparada a ações, por exemplo
    • Dependendo do fundo e quais imóveis possui, pode não ter uma boa estratégia de diversificação

    No geral, os Fundos Imobiliários de tijolo são recomendados para quem quer renda constante e a longo prazo. Por exemplo: para viver de renda no futuro, construir sua independência financeira, para aposentadoria etc.

    + Perguntas e respostas sobre investimento em fundos imobiliários

    Como investir em FIIs de tijolo?

    Para investir em Fundos Imobiliários de tijolo basta ter uma conta em uma corretora de valores. Existem várias no mercado brasileiros e, se você é investidor, com certeza já está cadastrado em uma. 

    Na plataforma de investimentos da instituição, você pode pesquisar um Fundo usando o código de negociação. É recomendável pesquisar indicações de especialistas e, lógico, avaliar se o fundo está de acordo com a sua estratégia de investimento. 

    Alguns pontos importantes para avaliar na hora de escolher um FII de tijolo são:

    • o setor (ou setores) dos imóveis do fundo 
    • histórico da gestora
    • qual a liquidez do fundo 
    • Dividend Yield
    • preço
    • qualidade do patrimônio

    O conteúdo ajudou? Então compartilhe com outros amigos investidores e deixe sua dúvida nos comentários! Leia também:

    O que achou disso?

    Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?