Mais
    InícioNotíciasFinanças PessoaisComo usar bem a restituição do Imposto de Renda? Confira dicas!

    Como usar bem a restituição do Imposto de Renda? Confira dicas!

    0
    (0)

    No último dia 31 de maio os contribuintes enviaram à Receita Federal o Imposto de Renda 2021 (ano-base 2021). Com isso, a autarquia divulgou o cronograma dos lotes da restituição do Imposto de Renda. O primeiro lote da restituição já foi pago para os que são prioridades.

    Para saber se já foi contemplado, basta consultar pelo site da Receita Federal ou pelo aplicativo da autarquia. Com essa graninha extra, você pode considerar diversas possibilidades. Mas, você sabe como usar bem a restituição do Imposto de Renda?

    A restituição do Imposto de Renda nada mais é do que a devolução do imposto pago a mais que o devido. O que leva em consideração os gastos e demais movimentações do ano anterior. A regra é simples.

    Se a diferença do Imposto de Renda a ser pago (sem contar as deduções) em relação ao imposto já pago ou retido na fonte for negativa, o saldo será restituído.

    Por outro lado, caso seja positiva, o contribuinte tem um saldo a pagar.

    Há pessoas que conseguem aumentar a restituição com as regras da própria Receita Federal. São aplicados, por exemplo, os descontos legais com gastos com educação, saúde e dependentes.

    Como consultar à restituição do Imposto de Renda?

    A consulta para saber se a restituição foi liberada é feita por meio do site da Receita Federal. É muito simples ter acesso às informações dos lotes de pagamentos.

    Confira o passo a passo para consultar rapidamente:

    • Acesse o site da Receita;
    • Informe seu CPF;
    • Selecione o ano;
    • Insira sua data de nascimento;
    • Digite o código de segurança;
    • Por fim, clique em Consultar.

    Além da internet, a Receita disponibiliza o Receitafone, pelo número 146, na opção 3. Também é possível fazer a consulta por meio do aplicativo para dispositivos móveis.

    O aplicativo para consulta da restituição está disponível para download em smartphones e tablets com sistema operacional Android e iOS.

    O valor da restituição fica disponível no banco no período de um ano. Caso não faça o resgate nesse prazo, terá que solicitar novamente no site da Receita.

    Para isso, é necessário preencher o formulário eletrônico – pedido de pagamento de restituição ou direto no portal e-CAC, no serviço extrato do processamento da DIRPF.

    Planejamento financeiro é peça-chave

    Em primeiro lugar, a dica para usar a restituição do Imposto de Renda é: se não estava contando com esse dinheiro, não gaste sem responsabilidade.

    Ainda que a receita não estivesse “prevista” para entrar agora, você não deve dar um destino que possa atrapalhar seus planos financeiros.

    De nada vai adiantar todo planejamento financeiro e acompanhamento organizado em planilhas, se tudo desandar.

    Portanto, aproveite para revisitar as suas prioridades. É uma dívida que precisa ser quitada? Ou será que você entrou no rotativo do cartão de crédito?

    Pessoa usando celular e analisando gráficos em um papel
    É muito importante se planejar para usar bem a restituição do Impost de Renda

    Pode ser que aquela pequena reforma que você precisa fazer agora saia, sem que pendure os gastos no crédito. Ou ainda um curso ou uma viagem poderão, enfim, sair do papel e virar realidade.

    Esse também pode ser um bom momento para começar um investimento. No Tesouro Direto, por exemplo, uma aplicação considerada “segura”, que faz parte da modalidade renda fixa, permite aplicações a partir de R$30.

    Ou seja, opção acessível é o que não falta para você usar esse dinheiro.

    Como usar o valor da restituição do Imposto de Renda?

    Antes de mais nada, se você não incluiu o valor da restituição no orçamento anual da família, não tem problema. Por isso, caso tenha surgido algum imprevisto, essa pode ser a salvação.

    Agora, se está com dívidas, esse pode ser o momento de quitá-las. Isso porque os juros do cartão de crédito são alguns dos mais altos no mercado.

    Dessa forma, se você caiu no rotativo, pode ser uma boa ideia usar o dinheiro da restituição para quitar esse saldo.

    Caso o valor não seja suficiente, tente negociar com o banco a redução com o pagamento de uma parte.

    Além disso, a redução dos juros pode ser um alívio para o seu bolso. Não esqueça que o endividamento excessivo pode fazer com que você fique com o nome sujo e tenha até restrição na obtenção de créditos e bens.

    Comece a investir com a restituição do Imposto de Renda

    Estar preparado para um imprevisto é necessário em todo orçamento, seja pessoal ou familiar.

    Pode ser que surjam despesas emergenciais, por exemplo, conserto no veículo, reparo no seu imóvel e até problemas de saúde.

    Preparar-se financeiramente para esses acontecimentos reduz o seu estresse.

    As opções para fazer uma reserva financeira são diversas. Você pode querer apenas abrir uma conta poupança.

    Ou, se já possui uma, transferir todo o valor da restituição do Imposto de Renda para lá e “esquecer” que ele existe.

    A poupança não possui valor mínimo de aplicação, no entanto, também não tem um rendimento muito alto.

    Se seus objetivos são a médio prazo, pode escolher entre a poupança e o CDB. Além disso, existem diversas outras modalidades que podem ser mais vantajosas sem oferecer tantos riscos ao investidor.

    “Não entendo nada de planejamento financeiro, e agora?” Esse não é o problema.

    Há diversos sites que orientam. Você só deve ter o cuidado de buscar fontes confiáveis ou sites oficiais daquele investimento para informar-se.

    Existem, inclusive, cursos gratuitos de planejamento financeiro onde você pode aprender e se informar.

    Dê prioridade para pagar as dívidas

    Uma dica para quem quer usar bem a restituição do Imposto de Renda é dar prioridade ao pagamento de dívidas.

    Assim como o dinheiro do 13º salário e férias, essa pode ser uma boa oportunidade para você acertar a sua vida financeira. Por isso, planeje-se.

    Procure saber o valor das suas dívidas e quanto vai receber da restituição do Imposto de Renda. Assim, será possível saber quais contas você poderá quitar e quais não.

    Outra dica é quitar, primeiro, as dívidas de maior valor e de risco, além das mais urgentes.

    Uma forma de decidir qual conta pagar é escolher sempre as que apresentam juros mais altos.

    Invista em sua qualificação profissional

    Independente se você está empregado ou não, adquirir novos conhecimentos nunca é demais. Por isso, gastar o dinheiro da restituição com a educação pode ser considerado um investimento.

    Você pode iniciar um curso técnico, graduação, pós-graduação ou qualquer outro curso que deseja fazer e acredita que será precioso para o seu trabalho. Os cursos de idiomas, principalmente, são uma boa ideia para investir.

    E você pode comprar esses cursos pela internet mesmo, existem diversos sites de aulas onlines que são bons e confiáveis.

    Portanto, lembre-se que o mercado de trabalho exige pessoas cada vez mais qualificadas. Sendo assim, este pode ser o momento ideal para aprender coisas novas.

    Este conteúdo te ajudou? Então confira mais conteúdos sobre o Imposto de Renda e fique por dentro do assunto:

    + CPF bloqueado por não declarar Imposto de Renda: veja como resolver

    + Como declarar Imposto de Renda atrasado – Passo a passo

    *Colaboração: Camila Miranda

    O que achou disso?

    Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?

    Redação
    Redação
    O FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde 2003, publicamos conteúdos que buscam traduzir desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa. Nossa missão é mostrar que qualquer pessoa pode ter controle financeiro e fazer as escolhas certas. Assim como ter no dinheiro um aliado para viver bem e conquistar seus sonhos.

    Artigos Relacionados

    Assine nossa newsletter!

    Páginas Populares

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    InícioNotíciasFinanças PessoaisComo usar bem a restituição do Imposto de Renda? Confira dicas!

    Como usar bem a restituição do Imposto de Renda? Confira dicas!

    0
    (0)

    No último dia 31 de maio os contribuintes enviaram à Receita Federal o Imposto de Renda 2021 (ano-base 2021). Com isso, a autarquia divulgou o cronograma dos lotes da restituição do Imposto de Renda. O primeiro lote da restituição já foi pago para os que são prioridades.

    Para saber se já foi contemplado, basta consultar pelo site da Receita Federal ou pelo aplicativo da autarquia. Com essa graninha extra, você pode considerar diversas possibilidades. Mas, você sabe como usar bem a restituição do Imposto de Renda?

    A restituição do Imposto de Renda nada mais é do que a devolução do imposto pago a mais que o devido. O que leva em consideração os gastos e demais movimentações do ano anterior. A regra é simples.

    Se a diferença do Imposto de Renda a ser pago (sem contar as deduções) em relação ao imposto já pago ou retido na fonte for negativa, o saldo será restituído.

    Por outro lado, caso seja positiva, o contribuinte tem um saldo a pagar.

    Há pessoas que conseguem aumentar a restituição com as regras da própria Receita Federal. São aplicados, por exemplo, os descontos legais com gastos com educação, saúde e dependentes.

    Como consultar à restituição do Imposto de Renda?

    A consulta para saber se a restituição foi liberada é feita por meio do site da Receita Federal. É muito simples ter acesso às informações dos lotes de pagamentos.

    Confira o passo a passo para consultar rapidamente:

    • Acesse o site da Receita;
    • Informe seu CPF;
    • Selecione o ano;
    • Insira sua data de nascimento;
    • Digite o código de segurança;
    • Por fim, clique em Consultar.

    Além da internet, a Receita disponibiliza o Receitafone, pelo número 146, na opção 3. Também é possível fazer a consulta por meio do aplicativo para dispositivos móveis.

    O aplicativo para consulta da restituição está disponível para download em smartphones e tablets com sistema operacional Android e iOS.

    O valor da restituição fica disponível no banco no período de um ano. Caso não faça o resgate nesse prazo, terá que solicitar novamente no site da Receita.

    Para isso, é necessário preencher o formulário eletrônico – pedido de pagamento de restituição ou direto no portal e-CAC, no serviço extrato do processamento da DIRPF.

    Planejamento financeiro é peça-chave

    Em primeiro lugar, a dica para usar a restituição do Imposto de Renda é: se não estava contando com esse dinheiro, não gaste sem responsabilidade.

    Ainda que a receita não estivesse “prevista” para entrar agora, você não deve dar um destino que possa atrapalhar seus planos financeiros.

    De nada vai adiantar todo planejamento financeiro e acompanhamento organizado em planilhas, se tudo desandar.

    Portanto, aproveite para revisitar as suas prioridades. É uma dívida que precisa ser quitada? Ou será que você entrou no rotativo do cartão de crédito?

    Pessoa usando celular e analisando gráficos em um papel
    É muito importante se planejar para usar bem a restituição do Impost de Renda

    Pode ser que aquela pequena reforma que você precisa fazer agora saia, sem que pendure os gastos no crédito. Ou ainda um curso ou uma viagem poderão, enfim, sair do papel e virar realidade.

    Esse também pode ser um bom momento para começar um investimento. No Tesouro Direto, por exemplo, uma aplicação considerada “segura”, que faz parte da modalidade renda fixa, permite aplicações a partir de R$30.

    Ou seja, opção acessível é o que não falta para você usar esse dinheiro.

    Como usar o valor da restituição do Imposto de Renda?

    Antes de mais nada, se você não incluiu o valor da restituição no orçamento anual da família, não tem problema. Por isso, caso tenha surgido algum imprevisto, essa pode ser a salvação.

    Agora, se está com dívidas, esse pode ser o momento de quitá-las. Isso porque os juros do cartão de crédito são alguns dos mais altos no mercado.

    Dessa forma, se você caiu no rotativo, pode ser uma boa ideia usar o dinheiro da restituição para quitar esse saldo.

    Caso o valor não seja suficiente, tente negociar com o banco a redução com o pagamento de uma parte.

    Além disso, a redução dos juros pode ser um alívio para o seu bolso. Não esqueça que o endividamento excessivo pode fazer com que você fique com o nome sujo e tenha até restrição na obtenção de créditos e bens.

    Comece a investir com a restituição do Imposto de Renda

    Estar preparado para um imprevisto é necessário em todo orçamento, seja pessoal ou familiar.

    Pode ser que surjam despesas emergenciais, por exemplo, conserto no veículo, reparo no seu imóvel e até problemas de saúde.

    Preparar-se financeiramente para esses acontecimentos reduz o seu estresse.

    As opções para fazer uma reserva financeira são diversas. Você pode querer apenas abrir uma conta poupança.

    Ou, se já possui uma, transferir todo o valor da restituição do Imposto de Renda para lá e “esquecer” que ele existe.

    A poupança não possui valor mínimo de aplicação, no entanto, também não tem um rendimento muito alto.

    Se seus objetivos são a médio prazo, pode escolher entre a poupança e o CDB. Além disso, existem diversas outras modalidades que podem ser mais vantajosas sem oferecer tantos riscos ao investidor.

    “Não entendo nada de planejamento financeiro, e agora?” Esse não é o problema.

    Há diversos sites que orientam. Você só deve ter o cuidado de buscar fontes confiáveis ou sites oficiais daquele investimento para informar-se.

    Existem, inclusive, cursos gratuitos de planejamento financeiro onde você pode aprender e se informar.

    Dê prioridade para pagar as dívidas

    Uma dica para quem quer usar bem a restituição do Imposto de Renda é dar prioridade ao pagamento de dívidas.

    Assim como o dinheiro do 13º salário e férias, essa pode ser uma boa oportunidade para você acertar a sua vida financeira. Por isso, planeje-se.

    Procure saber o valor das suas dívidas e quanto vai receber da restituição do Imposto de Renda. Assim, será possível saber quais contas você poderá quitar e quais não.

    Outra dica é quitar, primeiro, as dívidas de maior valor e de risco, além das mais urgentes.

    Uma forma de decidir qual conta pagar é escolher sempre as que apresentam juros mais altos.

    Invista em sua qualificação profissional

    Independente se você está empregado ou não, adquirir novos conhecimentos nunca é demais. Por isso, gastar o dinheiro da restituição com a educação pode ser considerado um investimento.

    Você pode iniciar um curso técnico, graduação, pós-graduação ou qualquer outro curso que deseja fazer e acredita que será precioso para o seu trabalho. Os cursos de idiomas, principalmente, são uma boa ideia para investir.

    E você pode comprar esses cursos pela internet mesmo, existem diversos sites de aulas onlines que são bons e confiáveis.

    Portanto, lembre-se que o mercado de trabalho exige pessoas cada vez mais qualificadas. Sendo assim, este pode ser o momento ideal para aprender coisas novas.

    Este conteúdo te ajudou? Então confira mais conteúdos sobre o Imposto de Renda e fique por dentro do assunto:

    + CPF bloqueado por não declarar Imposto de Renda: veja como resolver

    + Como declarar Imposto de Renda atrasado – Passo a passo

    *Colaboração: Camila Miranda

    O que achou disso?

    Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?