Início Notícias Finanças Pessoais 5 dicas para a hora da negociação da dívida

5 dicas para a hora da negociação da dívida

0
(0)

A negociação da dívida é uma boa alternativa para escapar da lista de inadimplentes. Com ela, você pode reduzir as prestações, conseguir juros menores e até descontos.

Para não ficar com o nome sujo por muito tempo, o ideal é quitar o valor o quanto antes. Nessa situação, negociar a dívida com o credor é uma saída para o aperto financeiro.

Isso nada mais é do que verificar uma nova forma de pagamento com a empresa ou instituição bancária. Desde que seja bom para os dois lados.

Afinal, assim como você quer pagar o que deve, a empresa busca receber esse valor. O primeiro passo para tal é conhecer sua atual situação financeira.

Melhorar o orçamento familiar
Melhorar o orçamento familiar é fundamental para evitar a negociação de dívidas

Liste todos os gastos fixos do mês, os rendimentos e as dívidas em aberto. A partir desses dados, será possível analisar se há condições de quitar algum débito.

Da mesma forma que identificar o quanto da renda será impactada por essa decisão. Assim como se será preciso de economia e mudança de hábitos.

Essa planilha financeira também servirá para perceber qual dívida é mais vantajosa para negociação.

Quitar o cartão de crédito, cujos juros são altos, pode ser melhor economicamente do que pagar o boleto da loja do bairro.

É importante também levar em consideração o valor da conta. A seguir, confira outras dicas para a hora da negociação da dívida.

1. Defina quanto pode gastar

O indivíduo deve definir quanto poderá gastar por mês para a negociação da dívida.

Até porque não adianta fechar um acordo que não poderá ser seguido depois.

Por isso, a dica é ter todos os seus gastos estabelecidos para saber a quantia disponível para negociar a dívida.

2. Tenha uma proposta

Depois de identificar o valor para pagar a dívida, formule uma proposta para a instituição financeira. Faça isso antes de procurar o credor.

Pense nas condições e formas de pagamento. Além da queda de juros e o prazo para quitar os valores por completo.

Faça isso de forma que seja favorável aos dois lados. Assim, ficará mais fácil convencer a empresa a negociar o valor da dívida com você.

Mesmo que a negociação não termine com as mesmas regras que estabeleceu previamente, terá noção do que é bom ou ruim para seu orçamento.

3. Negocie “cara a cara”

Por mais que os credores ofereçam negociação online, a conversa “frente a frente” pode ser uma melhor opção.

Isso porque você poderá apresentar suas premissas e argumentos pessoalmente para obter o melhor acordo.

O que cria confiança ao credor de que as propostas serão cumpridas.

Por outro lado, há serviços como o “Limpa Nome”, da Serasa Experian, que oferecem a chance de fazer um acordo com o credor pela internet.

De toda forma, vale a regra de avaliar se a oferta é satisfatória ao orçamento antes de fechá-la.

4. À vista, peça desconto

Pagar a dívida à vista é sempre a melhor alternativa. Se tiver uma reserva de emergência disponível, nem pense em fazer novas despesas com financiamentos.

Para o credor também é vantajoso receber o dinheiro de imediato e de uma única vez. Dessa forma, é válido tentar desconto e a redução da dívida.

Ou ainda propor melhores condições para cumprir com o pagamento com a redução das prestações. Assim como aumentar a quantidade de parcelas.

Tudo depende, portanto, da negociação e o equilíbrio entre as partes. 

5. Aproveite os mutirões para negociação da dívida

É comum que bancos façam mutirões para negociação das dívidas. O que são ótimas oportunidades para descontos maiores para quitar as pendências.

Em alguns casos, é possível que o desconto chegue a 50%. Nesse caso, a proposta parte da instituição financeira e tende a ser mais vantajosa para o credor.

Por isso, tenha sempre atenção as condições e faça uma contraproposta com seus argumentos.

Isso porque a empresa que faz negociações coletivas ganha sobre o volume das dívidas pagas.

O que achou disso?

Deixei sua classificação

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Seja o primeiro a avaliar este post.

Bruna Somma
Jornalista formada pela UFRRJ, com passagens por redações de jornais, sites e Assessoria de Comunicação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Conheça 4 franquias mais rentáveis no mercado

Quem está pensando em investir em franquias, precisa levar em consideração diversos pontos. O seu investimento pode até ser baixo, mas para...

10 corretoras de confiança para investir

Escolher uma corretora de confiança para investir não é uma tarefa fácil. O primeiro passo é verificar se a instituição é cadastrada...

Auxílio residual de R$300: governo divulga calendário

O Ministério da Cidadania divulgou o calendário de pagamentos referente ao auxílio residual das parcelas de R$300. Os pagamentos serão para os...

Como conquistar a independência financeira em 5 anos?

Muitas pessoas querem conquistar a independência financeira, mas será que elas sabem, de fato, o que significa ser financeiramente independente?

SPC: como consultar CPF e nome sujo

A expressão “nome sujo” faz surgir calafrios em muitos consumidores e estar com o nome no SPC é, certamente, um dos medos de quem...

Renda Cidadã: governo anuncia programa para substituir Bolsa Família

O governo do presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta segunda-feira, 28, o novo programa de transferência de renda: o Renda Cidadã, que vai...