Conversor de moedas Transferência internacional

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Dívida do cartão de crédito: como negociar e reduzir juros

Escrito por: Redação em 9 de abril de 2018

A dívida do cartão de crédito é conhecida por ser uma das que possuem a maior taxa de juros. Manter o hábito de pagar apenas o mínimo do cartão pode transformar-se em uma bola de neve de endividamento.

Por isso, um bom planejamento financeiro e até o auxílio de uma planilha de orçamento doméstico podem ajudar a evitar esse problema. Até porque o problema da dívida do cartão é um que só aumenta, caso não seja resolvido da melhor forma. Porém, é possível negociar com a instituição os valores e conseguir taxas e prazos de pagamento mais vantajosos.

57% dos usuários de cartão de crédito não controlam seus gastos corretamente

Essa foi a conclusão de um estudo divulgado em junho de 2017, realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Dos entrevistados, 28% costumam consultar pela internet a fatura antes do fechamento; 15% leem a fatura quando já está fechada (15%); e 13% fazem o controle de cabeça. Ainda há 1% que não faz qualquer controle.

Apenas 38% dos usuários mantém um controle sistemático das despesas com o cartão. Esse acompanhamento é feito anotando os gastos no papel (21%), com planilhas (11%) ou registrando as compras em aplicativos no celular (6%).

O estudo revelou que o maior temor dos usuários de cartão de crédito é a taxa de juros. No levantamento geral, quatro em cada dez (38%) entrevistados já ficaram, em algum momento, com o nome sujo por não pagarem a fatura. Além disso, 11% estavam com alguma parcela em atraso.

Todo cuidado é pouco no que diz respeito ao risco de endividamento. Portanto, mesmo facilitando o consumo e, por vezes oferecendo até benefícios (sabia que é possível acumular milhas com o cartão de crédito?), é preciso controlar o uso do cartão de crédito.

Como se livrar da Dívida do cartão de crédito
Para se livrar da dívida do cartão de crédito, é possível negociar com o emissor do cartão formas de pagamento mais vantajosas

Como funciona o cartão de crédito

Você conhece as tarifas do seu cartão? Ao contratar um cartão de crédito, você não deve se preocupar apenas com o limite ou o valor da anuidade. Os cartões possuem taxas também, cobradas de acordo com cada serviço. Segundo o estudo do SPC Brasil e a CNDL, 59% dos usuários de cartão desconhecem as taxas quando há atraso.

Porém, há taxas também cobradas pelo uso do cartão. Segundo explica a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), as tarifas de acordo com a Resolução 3.919 do Banco Central são referentes a:

– Pagamento de contas, como água, luz e telefone, no cartão de crédito;
– Pedido de análise emergencial para o aumento do limite do cartão;
– Utilizar o cartão para saques;
– Anuidade;
– Confecção da segunda via do cartão.

Como quitar a dívida do cartão de crédito

Realizar apenas o pagamento mínimo da fatura implica na geração de um crédito rotativo. O crédito rotativo é justamente a diferença entre o valor total da fatura de um mês e o valor efetivamente pago no vencimento. Essa diferença consiste no financiamento do cartão e está sujeito a juros.

Entretanto, desde 3 de abril de 2017 entrou em vigor a Resolução 4.549. A nova regra diz que o saldo devedor da fatura, quando não pago em sua totalidade até o vencimento, pode ser mantido em crédito rotativo até o vencimento da fatura subsequente. Esse prazo costuma ser de 30 dias.

Segundo o Banco Central, o cliente precisa quitar o saldo devedor do crédito rotativo, acrescido de juros. Para quitar a dívida do cartão de crédito, o cliente deve usar recursos próprios ou empréstimo de outra instituição.

Pode ainda pedir uma linha de crédito parcelado na mesma instituição, com condições mais vantajosas em relação a do cartão. Nesse ponto que o cliente deverá observar a taxa de juros cobrada em cada modalidade, para fazer a opção que mais se adeque a sua realidade financeira.

O pagamento das faturas seguintes, após o parcelamento do saldo devedor do rotativo ter sido financiado por 30 dias, será a soma de:

a) saldo do crédito rotativo acrescido dos respectivos juros incidentes no período;
b) prestação ou prestações resultantes de parcelamentos do saldo devedor de períodos anteriores;
c) no mínimo, 15% das compras e lançamentos no período.

O Banco Central explica que o emissor do cartão não é obrigado a oferecer o parcelamento da dívida. Porém, se houver interesse em oferecer, as condições devem ser mais vantajosas do que as do crédito rotativo.

Como fugir da dívida do cartão de crédito

Segundo a Abecs, a primeira dica para fugir da dívida do cartão de crédito é avaliar a compra. Isso mesmo. Antes de decidir por um produto, você precisa fazer as contas e ver se aquela prestação mensal vai caber no seu orçamento.

Outro tópico importante é pagar a fatura na data de vencimento. E mais: pagar o valor integral da sua fatura. Ou o saldo pode acabar entrando no crédito rotativo e, se não for quitado, virando uma dívida. E é justamente disso que você está fugindo.

Por isso que ter um plano, uma meta definida, vai te dar um direcionamento nos seus gastos. Manter o foco é a chave para evitar as dívidas. Ter um consumo consciente e dentro das suas possibilidades é um fator essencial nesse processo.

Redação

Criado em 2003, o FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa.

Deixe um comentário

Posts relacionados

Máquina de cartão de crédito
economizar com cartão de crédito
cartão de crédito pré-pago
cartões de crédito com as menores taxas
Governo autoriza corte imediato de limite de cartão