Conversor de moedas Transferência internacional

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Como usar o empoderamento feminino nas finanças pessoais?

Escrito por: Priscila Gomes em 11 de março de 2019

Que homens e mulheres são diferentes em muitos aspectos todos sabem, mas você já pensou que as divergências estão presentes até na forma de lidar com o dinheiro? Isso foi o que identificou um estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Inclusive, a organização defende que homens e mulheres deveriam ter acesso a uma educação financeira voltada especificamente para seu público.

Mas o que tem a ver o empoderamento feminino nas finanças pessoais? Entenda!

Como usar o empoderamento feminino nas finanças pessoais?

O que significa o empoderamento feminino nas finanças

Primeiro precisamos entender o conceito de empoderamento feminino, que está relacionado ao poder de participação das mulheres na sociedade. A ideia é garantir a elas o direito de lutar pelos seus direitos, como a igualdade entre gêneros.

O problema é que poucas mudanças ocorreram na sociedade ao longo dos anos, especialmente quando o assunto é finanças e mercado de trabalho.

Apesar de todas as discussões em torno do feminismo, ainda há a concepção de que os homens devem ser os provedores dos lares e as mulheres as responsáveis por cuidar da casa, dos maridos e dos filhos.

No entanto, hoje já temos 40% dos lares sustentados por mulheres.

Em contrapartida a esse fato, as mulheres ainda recebem cerca de 28% menos que os homens e são minorias em cargos de chefia.

Além disso, a maioria das mulheres não tem acesso a informações básicas sobre como lidar com o dinheiro porque ainda são estimuladas a encontrar um bom marido e se dedicar exclusivamente à família.

O fato é que ignora-se que mesmo que uma mulher opte por esse estilo de vida, ela precisará lidar com dinheiro no dia a dia.

Assim, também devem ter o direito de aprender sobre finanças pessoais.

Como alcançar o empoderamento feminino nas finanças

Para que ajudar a compreender melhor como o empoderamento feminino pode ajudar as mulheres em relação a suas próprias finanças, separamos três pontos centrais sobre essa questão.

São eles relacionados ao consumismo, a relação da mulher com seu próprio dinheiro e à busca por mais conhecimento quando o assunto são as finanças pessoais.

Como usar o empoderamento feminino nas finanças pessoais?

Adeus ao consumismo

As mulheres são os principais alvos de propagandas e, por isso, as mais propensas ao consumismo. De produtos de beleza à aparelhos domésticos, as empresas investem fortemente em anúncios que chamem a atenção desse grupo, que no geral formam seu principal público consumidor.

Alguns estudos de marketing apontam que jovens e mulheres são os principais grupos com alto poder de influência. Por conta disso, a maioria das campanhas são voltadas a essas pessoas.

Quando se fomenta a ideia de empoderamento feminino nas finanças pessoais, é importante fazer as mulheres enxergarem essas estratégias de marketing que as induzem a comprar coisas que as vezes sequer precisam.

Tendo essa concepção é mais fácil manter o controle na hora das compras.

Uma dica para evitar a compra por impulso é deixar esperar 24 horas antes de concretizar a compra de um item pelo qual se interessou.

Esse intervalo de tempo é importante para pensar se realmente gostou do produto e se ele será necessário para você.

Responsabilize-se por seu próprio dinheiro

Uma mulher empoderada financeiramente assume sua responsabilidade por seu próprio dinheiro. Isso não tem a ver apenas com o fato de trabalhar para conquistar a própria grana, mas sobre ter controle dos seus gastos e investimentos.

Por isso, é importante dedicar um tempo para a elaboração de um planejamento financeiro.

Não importa a ferramenta usada, pode ser um aplicativo, uma planilha no Excel ou até mesmo um caderninho. A ideia é que você saiba exatamente para onde vai o seu dinheiro.

Nesse planejamento devem estar listadas todas as contas, até o cafezinho na padaria e as taxas bancárias, além dos investimentos e as reservas para emergências e planos futuros. Também é preciso listar todas as entradas de dinheiro no mês.

Vale ressaltar que é preciso fazer uma reserva para eventuais emergências. Imprevistos acontecem e é importante estar preparada para quando surgirem.

Sem contar que será reconfortante saber que tal emergência não acarretará em grandes impactos no seu planejamento financeiro.

Busque mais conhecimento

A educação financeira é deficitária no Brasil para homens e mulheres, mas este segundo grupo sofre ainda mais com a precariedade de informações.

A boa notícia é que com a internet o acesso a materiais sobre finanças está mais fácil.

Através da educação financeira é possível aprender a ter uma relação mais saudável com o dinheiro e encontrar formas de se tornar independente financeiramente.

E isso não está relacionado ao fato de poder comprar o carro da moda ou a casa dos sonhos, mas ter a tranquilidade de ter dinheiro suficiente para se manter mesmo sem estar trabalhando.

Atualmente existem vários apps, canais no Youtube, fanpages e livros que abordam o assunto. Com esses recursos é possível ter acesso a informações sobre controle de gastos e investimentos, desde os mais conservadores aos mais ousados.

Muitos materiais estão disponíveis gratuitamente, enquanto outros são pagos.

Quer saber mais sobre finanças femininas? Comente abaixo!

Priscila Gomes

Jornalista. Gosto de abraços, aniversários e do Natal. Atualmente produzo conteúdo para internet e faço assessoria sindical.

Deixe um comentário

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

Como identificar (e fugir) de um esquema de pirâmide?
cartão-de-crédito-consignado-sem-anuidade
voos cancelados da Avianca
consórcio de dinheiro
organizar-as-finanças-depois-das-férias