Investir em Portugal vale a pena? Descubra! | FinanceOne
Conversor de moedas Transferência internacional

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.




Investir em Portugal vale a pena? Descubra!

Vale investir em Portugal. Não é só a facilidade da língua que pode atrair investidores brasileiros. Os números da economia também são muitos bons. O primeiro-ministro português, o socialista António Costa, diz ter a fórmula do sucesso de uma política econômica.

Segundo ele, o país é uma alternativa à política de austeridade centrada em mais crescimento, mais e melhor emprego e mais igualdade. Resultado: pela primeira vez desde a adesão ao euro, Portugal cresce acima da média da União Europeia.

investir em Portugal

Por que investir em Portugal?

Os números comprovam a sua afirmativa. Isso porque o país é um dos poucos que teve uma alta significativa do Produto Interno Bruto (PIB) em 2017. De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), o índice teve um crescimento de 2,7% no ano passado, na comparação com o ano anterior.

Os dados são melhores no quesito investimentos. Portugal deu um salto considerável. Em 2016 eles cresceram 0,8%. Já no ano passado a subida foi de 8,4%. Olhando apenas para a FBCF (a Formação Bruta de Capital Fixo), o aumento foi ainda mais expressivo: 9,1%.

O INE anunciou que o setor que apresentou os melhores números foi o da construção. O motivo é simples: entraram mais 2,9 bilhões de euros em investimento no país, dos quais 1,5 mil bilhão foram em construção.

O órgão aponta ainda que os investimentos em equipamentos de transporte avançaram 14%. Injetando mais 360 milhões de euros em Portugal.

Já o investimento em maquinaria (sem contar automóveis) disparou 13%. O que refletiu em mais 883 milhões de euros na economia portuguesa.

Turismo também alavanca economia de Portugal

investir em PortugalAs receitas do turismo cresceram 16,6% em 2017 no país. Segundo o INE, Portugal registrou 41,6 milhões de pernoites de estrangeiros e 15,9 milhões de portugueses no ano passado.

Isso representa mais 8,6% e mais 4,1% do que em 2016, respectivamente.

O notável crescimento nas pernoites reflete-se, naturalmente, nas receitas. Em 2017, o país registou um substancial desenvolvimento das receitas no setor, em comparação com 2016. Elas dispararam 19,4% e ultrapassaram os 272 milhões de euros.

Esses números também têm uma explicação. O país ganhou o prêmio de Melhor Destino da Europa em 2017 no World Travel Awards, considerado o “Oscar” do Turismo.

Portugal venceu outros 16 concorrentes, incluindo Brasil, Grécia, Maldivas, Estados Unidos, Marrocos, Vietnã e Espanha, entre outros. Esta é a primeira vez que um país europeu ganha esta premiação, criada em 1993.

Facilidade de Comércio Internacional

O relatório “Ease of Doing Business”, elaborado pelo Banco Mundial, revela que Portugal ocupa o 29º lugar em facilidade de Comércio Internacional. O ranking usa 11 indicadores para medir aspectos da regulamentação empresarial em 190 países em todo o mundo.

A Nova Zelândia ficou em primeiro no ranking, seguida de Cingapura e Dinamarca. Já o o Brasil caiu duas posições no ranking deste ano, ficando em 125º lugar, o pior entre os Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) e os países do Mercosul.

De acordo com o Banco Mundial são fatores que tornam Portugal um bom destino para o seu investimento:

– Estabilidade política e social;

– Baixos índices de criminalidade;

– Relações privilegiadas com a Europa, Macau, África e Brasil (Portugal pode ser uma porta de entrada para mercados de língua portuguesa);

– Os custos laborais são relativamente baixos quando comparados com outros países da UE;

– É o 2º país da União Europeia onde é mais fácil criar uma nova empresa (começar um novo negócio demora 2,5 dias e implica apenas três procedimentos;

– Portugal é um celeiro de startups que estão entre as mais competitivas do mundo.

Exportações e importações

As exportações e importações de Portugal também registraram crescimento nos últimos cinco anos. As exportações cresceram 4,2%, enquanto as importações subiram 2,8%, em média.

Desde 2012, o saldo da balança comercial de bens e serviços em Portugal é positivo.

O país também se destaca por ter a 22º melhor infraestrutura do mundo, ter uma localização estratégica, ser uma porta aberta para 500 milhões de pessoas na Europa e mais de 250 milhões de consumidores da língua portuguesa.

Abrir uma empresa em Portugal é simples

Em Portugal existem dois tipos de empresas que podem ser abertas: singular (individual) ou coletiva. Descubra as diferenças entre elas a seguir.

1 – Empresa Singular

– Nome Individual do Empresário;

– Sociedade Unipessoal por Quotas;

– Estabelecimento Individual de Responsabilidade Limitada.

Para o empresário em nome individual não há capital mínimo necessário para abertura da empresa. Já para Sociedade Unipessoal por Quotas e Estabelecimento Individual de Responsabilidade Limitada são necessários pelo menos 5 mil euros de capital.

2 – Empresa Coletiva

– Sociedade por quotas;

– Sociedade Anônima (S.A.);

– Sociedade em nome coletivo;

– Sociedade em Comandita;

– Cooperativa.

As empresas coletivas podem variar o valor do capital inicial para abertura da empresa. Na Sociedade por quotas são necessários pelo menos 5 mil euros (em quotas de valor mínimo de 100 euros).

Na Sociedade Anônima (S.A.) é preciso investimento de pelo menos 50 mil euros dividido em ações. Para a Sociedade de nome Coletivo não há um valor especifico de capital necessário para abertura.

Já em uma Sociedade em Comandita, o valor necessário de capital é de 50 mil euros, e em uma cooperativa o capital mínimo é de 2.500 euros.

Visto para empreendedor

Portugal

Para o brasileiro que já reside em Portugal legalmente não é preciso alterar o tipo de autorização de residência. Isso, claro, se já possui visto que dê permissão para trabalhar.

Caso a empresa portuguesa vá ser aberta por brasileiro que ainda não reside em Portugal, o interessado deve solicitar o visto D2. Ele também é conhecido como Visto Gold.

É possível dar entrada pessoalmente ou pelos Correios no Consulado Geral de Portugal, em São Paulo, ou nos vice-consulados no Paraná e no Rio Grande do Sul.

Para solicitar, o requerente também deve apresentar documentos pessoais de identificação e que comprovem capacidade financeira de se manter em solo português.

No entanto, o visto D2 tem validade de quatro meses. Neste período é preciso solicitar uma autorização de residência ao serviço de fronteiras português.

“Startup visa” é outra opção

Uma outra modalidade de visto para empreendedores, disponível em Portugal desde 1º de janeiro, é o “Startup Visa”. Com ele o governo português quer atrair mais startups. Para isso está oferecendo vistos de residência para quem empreender no país.

O programa busca fortalecer o ecossistema de inovação português, e as inscrições podem ser feitas pela internet. Ele é um visto de residência especial para empreendedores da área de tecnologia e inovação.

Os candidatos ao visto especial terão de cumprir uma série de pré-requisitos quanto à qualidade das empresas. Segundo o governo português, as atividades de bens e serviços devem ser inovadoras e ter potencial de geração de emprego qualificado.

Além disso, devem ter “potencial para atingir, três anos após o período de incubação, um valor de 325 mil euros (cerca de R$ 1,2 milhão), ou um volume de negócios superior a 500 mil euros (cerca de 1,9 milhão) ao ano”.

Deixe um comentário

Receba novidades

Cadastre-se em nossa newsletter para receber novidades em seu email.

Posts relacionados

7 de novembro de 2018
Brasil pode encerrar o ano com 6,2 milhões de novos investidores

Pesquisa da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA) aponta que o país deve encerrar o ano com 6,2 milhõ...

24 de outubro de 2018
Cuidado com essas 5 armadilhas ao investir seu dinheiro

Fique atento a algumas armadilhas ao investir seu dinheiro. Elas podem ser decisivas para você ser um investidor de sucesso ou não. Um dos maiores p...

22 de outubro de 2018
Fundo de Crédito Privado: o que é e como funciona

Você provavelmente já escutou falar em fundo de crédito privado, mas sabe o que é e como funciona? Para começar, fundo de crédito privado é um ...

18 de outubro de 2018
CDB ou poupança? Saiba qual é o melhor

Se você está pensando em investir, mas não sabe onde deve aplicar o seu dinheiro, ou está na dúvida entre CDB ou poupança, saiba que isso é nor...

15 de outubro de 2018
Como começar a investir no mercado financeiro

Iniciantes do mercado financeiro costumam ter muitas perguntas e hesitar a cada nova informação. Será que é muito arriscado investir no mercado financeiro?

Mais lidos

Cartões de crédito sem anuidade: veja os 10 melhores
Procurando cartões de crédito sem anuidade? Eles definitivamente conquistaram o seu espaço na eco ...
Trabalhar em casa: 28 profissões para ganhar dinheiro
Trabalhar em casa e ganhar dinheiro no conforto do lar é um sonho para muitas pessoas. No Brasil, o ...
Quais são as moedas mais valorizadas do mundo?
Sabe quais são as moedas mais valorizadas do mundo? Você vai se surpreender! O Real é a terceira ...
Aposentadoria por idade 2018: como funciona?
A aposentadoria é um dos benefícios da Previdência Social. O Regime Geral de Previdência Social ...
Cartão de crédito com aprovação imediata existe?
Quem não quer ter um cartão de crédito hoje em dia para realizar as compras? Muitas instituiçõe ...

Ebook do FinanceOne

Ebook gratuito investidor iniciante

Quer investir mas não sabe como? O Guia Completo do Investidor Iniciante traz os primeiros passos para você começar a investir e ganhar dinheiro!

BAIXAR AGORA!

Publicidade


           




Guias

Calculadoras