Conversor de moedas

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Melhores planos de previdência privada para cada perfil

Escrito por: Mateus Carvalho em 24 de outubro de 2018

Você já está começando a se preparar para a aposentadoria? Já pensou em ver os planos de previdência privada? Sabe qual é o ideal para o seu perfil? Foi pensando em como orientar as pessoas que a associação de consumidores Proteste montou um ranking dos melhores planos de previdência privada.

Para montar a lista, a Proteste levou em consideração quatro tipos de investidores:

– conservadores;
– moderados;
– agressivos;
– que têm data para se aposentar.

No total, a associação chegou a sete tipos de fundos, que foram classificados pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

Confira a classificação:

– Previdência renda fixa (para conservadores);
– Previdência balanceada até 15 e previdência balanceada de 15% a 30% (para moderados);
– Previdência multimercados, previdência balanceada acima de 30% e previdência ações (para agressivos);
– Previdência data-alvo, onde cada cotista define uma data para o resgate dos recursos permitindo que o gestor possa planejar a alocação dos ativos.

Outro critério utilizado para elaborar o ranking com os melhores planos de previdência privada foi os que ofereceram uma maior rentabilidade. Para fazer essa análise, foram levados em consideração os últimos cinco anos, de setembro de 2013 a outubro deste ano. Além dos que cobram taxas menores.

melhores planos de previdência privada
Os melhores planos de previdência privada de acordo com a Proteste

“Consideramos os últimos cinco anos porque, caso considerássemos o período de dez anos, que é o prazo mínimo que acreditamos que compensa para o investidor aplicar dinheiro nesse tipo de fundo, teríamos poucos produtos para analisar. Muitos fundos surgiram nos últimos cinco anos”, explicou Verônica Dutt-Ross, coordenadora da pesquisa da Proteste.

Taxas de juros impactam os fundos

É necessário estar atento às taxas que são cobradas para que a rentabilidade não possa ser prejudicada. Isso porque as taxas de juros da inflação impactam de forma considerável os fundos de previdência privada, já que não garantem uma remuneração fixa.

São três as taxas cobradas:

– taxa de administração;
– imposto de renda;
– carregamento.

Durante a pesquisa, a Proteste apurou que as taxas de administração variam entre 1,25% e 2,40% ao ano. Já as de carregamento são entre 0% e 8%, de acordo com o período que foi investido.

Sendo assim, quanto maior o prazo e o valor, menor será o encargo a ser pago. Lembre-se que a maior taxa considera um tempo de permanência de até 12 meses. A Proteste filtrou, em cada categoria, os fundos abertos para captação e que são acessíveis para os investidores. Exigindo um aporte inicial de até R$ 25 mil.

“Portanto, não ranqueamos os melhores entre o total de fundos, mas os mais atrativos entre os mais acessíveis”, explicou Verônica Dutt-Ross.

Lista dos melhores planos de previdência privada para cada perfil

Conservadores

Fundo Aplicação mínima inicial (R$) Taxa de administração (%) Taxa de carregamento Rentabilidade de anualizada (5 anos)
Mongeral Aegon Previdência FI Renda Fixa Crédito Privado R$100 1,75 Postergadas: até 12 meses – 10 a 0 11,57%
Icatu Seg FI Renda Fixa Previdenciário Aporte único de R$15 mil ou mensal de R$700 2 Postergadas: até 12 meses – 10 a 0 11,30%
Icatu Seg Inflação Curta FI Renda Fixa Previdenciário Aporte único R$ 20 mil ou Mensal de R$ 800,00 1 Postergadas: até 12 meses – 3 a 0 12,32%

Moderados

Fundo Aplicação mínima inicial (R$) Taxa de administração (%) Taxa de carregamento Rentabilidade de anualizada (5 anos)
Icatu Seg Composto 20E FIC Multimercado / Icatu Aporte único R$ 20 mil ou Mensal de R$ 400,00 1,75 Postergadas: até 12 meses – 3 a 0 9,99%

Agressivos

Fundo Aplicação mínima inicial (R$) Taxa de administração (%) Taxa de carregamento Rentabilidade de anualizada (5 anos)
Safra Prev Multi Estratégia FIC Multimercado Previdenciário / Safra Aporte único de R$ 50 mil, ou contribuições mensais de R$ 150,00 1,5 Não há 11,01%
Ibiuna Previdência FIC Multimercado / Bradesco Aporte único de R$ 10 mil, ou contribuições mensais de R$ 100,00 1,5 Não há 11,11%

Data-alvo

Fundo Aplicação mínima inicial (R$) Taxa de Administração (%) Taxa de Carregamento Rentabilidade anualizada (5 anos)
Icatu Seg Minha Aposentadoria 2040 FIC Multimercado / Icatu Aporte único de R$ 1 mil, ou contribuições mensais de R$ 100,00 1,75 Postergadas: até 12 meses – 3 a 0 9,06%
BrasilPrev Renda Total Ciclo de Vida 2040 FIC Multimercado / Brasilprev Aporte único de R$ 50 mil, ou contribuições mensais de R$ 60 (VGBL); R$ 100,00 (PGBL) 2 Antecipadas: 2 – 0 8,08%
BrasilPrev Renda Total Ciclo de Vida 2030 FIC Multimercado / Brasilprev Aporte único de R$ 50 mil, ou contribuições mensais de R$ 60 (VGBL); R$ 100,00 (PGBL) 2 Antecipadas: 2 – 1 8,16%

Passo a passo para escolher plano de previdência privada

1º passo
Você precisa escolher o tipo de plano de previdência privada que irá contratar. Se você realiza a declaração simplificada do Imposto de Renda, a melhor escolha é o VGBL. Já para quem tem renda maior, o mais indicado é o PGBL, que pode ser abatido do imposto.

2º passo
Nessa etapa será necessário que você decida qual tabela irá usar. A tabela regressiva é para as pessoas jovens e que pretendem realizar a retirada em parcela única no final do plano. Já a tabela progressiva é para quem contratou o plano mais tarde e quer retirar os aportes mensais ao fim do plano.

3º passo
É importante que você confira as taxas que são cobradas. Um exemplo é que a de carregamento e de saída podem ser de 0%. Além disso, busque uma taxa de administração considerada baixa.

4º passo
Sempre desconfie do gerente do banco. Isso porque em muitos casos, eles oferecem a previdência privada para baterem metas que são impostas. Por isso, é importante que você compare os tipos de planos e taxas antes de contratar. Além disso, confira se a oferta do seu gerente está de acordo com o seu perfil.

Previdência privada ou poupança: o que é melhor?

Quem não quer juntar dinheiro para curtir a aposentadoria? Ou melhor, quem não quer ter uma aposentadoria tranquila depois de anos de trabalho? Com a crise econômica pela qual o Brasil vem passando, muitas pessoas começam a pensar em outras formas de garantir um dinheiro extra. E qual a melhor forma para isso: previdência privada ou poupança?

Antes de escolher, é preciso saber como cada uma funciona. A previdência privada pode ser considerada uma aposentadoria, porém ela não está ligada diretamente ao Sistema do Instituto do Seguro Nacional (INSS). Uma das vantagens da previdência privada é que ela pode ser complementar à aposentadoria pública. Quer saber mais sobre o assunto? Confira!

Mateus Carvalho

Jornalista formado pela Unicarioca. Atualmente, repórter da Folha Dirigida e produtor de conteúdo no FinanceOne. Já fui colaborador do Torcedores.com.

Deixe uma resposta

Posts relacionados

Reforma da previdência
Novas regras para aposentadoria
Estabilidade pré-aposentadoria
INSS
recolher-INSS