Cursos que transformam sua vida financeira
Mais
    InícioNotíciasFinanças PessoaisSaiba como trocar dívida cara por uma mais barata e economizar

    Saiba como trocar dívida cara por uma mais barata e economizar

    4
    (2)

    Está endividado? Fique tranquilo. É possível trocar dívida cara por outra com taxa de juros mais baixas.

    Publicidade

    De modo geral, esse movimento nada mais é do que uma renegociação de débitos, normalmente caracterizada pela portabilidade de um passivo existente.

    Essa operação financeira se dá entre as operadoras de crédito ou instituições financeiras e a migração da dívida tem por objetivo principal reduzir o custo da dívida.

    Em outras palavras, trocar de dívida significa renegociar ou substituir as despesas pendentes por outra, preferencialmente com menores taxas de juros, tornando assim o débito mais fácil de ser liquidado.

    Separamos algumas medidas práticas para te ajudar a reverter essa situação e gerenciar o seu orçamento com sabedoria.

    Trocar dívida cara: primeiros passos

    O País chegou ao fim do primeiro semestre de 2021 com a maior proporção de famílias endividadas em mais de uma década, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

    Publicidade

    O total de 69,7% de brasileiros tinham dívidas em junho, uma alta de 1,7 ponto porcentual em relação a maio, quando essa proporção era de 68,0%.

    Para essas pessoas, o primeiro passo para trocar dívida cara é verificar o valor atualizado do seu débito. Isso pode contribuir tanto para que o saldo devedor seja reconhecido, como também para determinar uma melhor proposta para saldar toda a dívida.

    Para tanto, basta que o interessado entre em contato com o credor, solicitando junto aos bancos a atualização do débito pendente, incluindo as taxas praticadas, bem como os demais custos envolvidos.

    Para isso, faça antes uma análise de suas contas. Separe cada uma delas e perceba o que de fato ainda falta para que suas dívidas sejam quitadas.

    Identifique quais são as contas essenciais (água, luz, gás, condomínio e escolha dos filhos, por exemplo), os gastos extras que em alguns casos são supérfluos e todo o restante.

    Publicidade

    Confira as taxas e anote tudo o que você puder.  Para não ser pego desprevenido quando perceber um número diferente no meio das suas contas.

    Depois some todas as suas dívidas, inclua contas novas e antigas que ainda não foram pagas e veja qual o real valor das suas despesas atuais.

    Com isso, você conseguirá discernir o que fazer e tomar boas decisões para conseguir quitar essas dívidas.

    Procure o gerente do seu banco

    Procure o seu banco ou o credor e solicite a renegociação da sua dívida. Contudo, lembre-se que ter total esclarecimento a respeito dos valores de todas as taxas e entendimento sobre quanto você está devendo e quanto de fato consegue pagar atualmente é muito importante.

    O banco obviamente exibirá uma proposta e, antes de aceitar e concordar com o que for passado a você, preste atenção se as taxas de juros do CET são menores do que aquelas que você está acostumado a pagar.

    Publicidade

    Veja também o valor das parcelas, nunca deixe de comparar esses números.

    Ou seja, busque alternativas que sejam boas para ambas as partes, tente diminuir o valor das parcelas, conforme sua realidade, aumente o tempo de pagamento e se possível abata parte do valor para diminuí-la na renegociação.

    + Como renegociar dívidas para terminar o ano no azul

    Portabilidade de crédito: como fazer

    Em suma, a portabilidade de crédito é na realidade uma transferência da dívida para um banco que oferece mais vantagens.

    #1. Economia

    Economizar uma grana é sempre necessário. Afinal, todo mundo tinha que ter aquela reserva para não ser pego desprevenido com alguma situação.

    Os bancos buscam cada vez mais oferecer melhores condições aos seus clientes e algumas vezes isso acontece por meio de vantagens para quem tem a pretensão de economizar.

    Por esse motivo, é bom estar sempre ligado nas oportunidades que eles oferecem para migrar o empréstimo pessoal e financiamentos.

    As economias podem até facilitar no pagamento antecipado das prestações de um contrato atual.

    Homem fazendo cálculos em um caderno com várias notas de dinheiro
    Assumir um empréstimo pode ser uma decisão financeira saudável para trocar dívida cara

    #2. Unir as dívidas

    Busque transferir seus contratos de empréstimos ou financiamento para um banco específico.

    Isso auxiliará você a sempre lembrar das datas de vencimento dos boletos que precisa pagar e será melhor para
    que mantenha sempre um controle de suas finanças.

    Todos os problemas serão resolvidos em apenas um lugar e isso facilita muito.

    #3. Liberação de margem consignável

    Quando falamos de empréstimo consignado, a margem consignável significa o valor limite que pode ser comprometido com empréstimos e/ou cartões de crédito com desconto em folha de forma mensal.

    Sendo assim, a margem disponível irá diminuir conforme o aumento do valor das parcelas mensais.

    O que pode acontecer é que ao fazer essa troca da dívida menor no lugar de outra com juros menores, a margem também pode ser liberada.

    Com isso, há mais chances de tomar um novo empréstimo, já que esse geralmente também é um dos critérios para a contratação.

    Pague primeiro as dívidas com juros mais altos

    Parece óbvio, mas muitas pessoas, quando estão endividadas, não sabem mais como administrar as contas ou qual a melhor forma de quitar dívidas. No entanto, quando se questionar sobre qual a melhor forma de quitar dívidas, priorize as com os juros mais altos.

    Isso porque a tendência é que essas se tornem a famosa “bola de neve”, aumentando mensalmente e anualmente e fazendo com que você fique mais endividado. Portanto, anote todas suas dívidas, avalie as que têm juros mais altos e pague primeiro.

    Agora que aprendeu como trocar dívida cara, pretende fazer isso com alguma das suas contas? Comente abaixo!

    O que achou disso?

    Média da classificação 4 / 5. Número de votos: 2

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?

    Redação
    Redação
    O FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde 2003, publicamos conteúdos que buscam traduzir desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa. Nossa missão é mostrar que qualquer pessoa pode ter controle financeiro e fazer as escolhas certas. Assim como ter no dinheiro um aliado para viver bem e conquistar seus sonhos.

    Artigos Relacionados

    Assine nossa newsletter!

    Páginas Populares

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    InícioNotíciasFinanças PessoaisSaiba como trocar dívida cara por uma mais barata e economizar

    Saiba como trocar dívida cara por uma mais barata e economizar

    4
    (2)

    Está endividado? Fique tranquilo. É possível trocar dívida cara por outra com taxa de juros mais baixas.

    Publicidade

    De modo geral, esse movimento nada mais é do que uma renegociação de débitos, normalmente caracterizada pela portabilidade de um passivo existente.

    Essa operação financeira se dá entre as operadoras de crédito ou instituições financeiras e a migração da dívida tem por objetivo principal reduzir o custo da dívida.

    Em outras palavras, trocar de dívida significa renegociar ou substituir as despesas pendentes por outra, preferencialmente com menores taxas de juros, tornando assim o débito mais fácil de ser liquidado.

    Separamos algumas medidas práticas para te ajudar a reverter essa situação e gerenciar o seu orçamento com sabedoria.

    Trocar dívida cara: primeiros passos

    O País chegou ao fim do primeiro semestre de 2021 com a maior proporção de famílias endividadas em mais de uma década, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

    Publicidade

    O total de 69,7% de brasileiros tinham dívidas em junho, uma alta de 1,7 ponto porcentual em relação a maio, quando essa proporção era de 68,0%.

    Para essas pessoas, o primeiro passo para trocar dívida cara é verificar o valor atualizado do seu débito. Isso pode contribuir tanto para que o saldo devedor seja reconhecido, como também para determinar uma melhor proposta para saldar toda a dívida.

    Para tanto, basta que o interessado entre em contato com o credor, solicitando junto aos bancos a atualização do débito pendente, incluindo as taxas praticadas, bem como os demais custos envolvidos.

    Para isso, faça antes uma análise de suas contas. Separe cada uma delas e perceba o que de fato ainda falta para que suas dívidas sejam quitadas.

    Identifique quais são as contas essenciais (água, luz, gás, condomínio e escolha dos filhos, por exemplo), os gastos extras que em alguns casos são supérfluos e todo o restante.

    Publicidade

    Confira as taxas e anote tudo o que você puder.  Para não ser pego desprevenido quando perceber um número diferente no meio das suas contas.

    Depois some todas as suas dívidas, inclua contas novas e antigas que ainda não foram pagas e veja qual o real valor das suas despesas atuais.

    Com isso, você conseguirá discernir o que fazer e tomar boas decisões para conseguir quitar essas dívidas.

    Procure o gerente do seu banco

    Procure o seu banco ou o credor e solicite a renegociação da sua dívida. Contudo, lembre-se que ter total esclarecimento a respeito dos valores de todas as taxas e entendimento sobre quanto você está devendo e quanto de fato consegue pagar atualmente é muito importante.

    O banco obviamente exibirá uma proposta e, antes de aceitar e concordar com o que for passado a você, preste atenção se as taxas de juros do CET são menores do que aquelas que você está acostumado a pagar.

    Publicidade

    Veja também o valor das parcelas, nunca deixe de comparar esses números.

    Ou seja, busque alternativas que sejam boas para ambas as partes, tente diminuir o valor das parcelas, conforme sua realidade, aumente o tempo de pagamento e se possível abata parte do valor para diminuí-la na renegociação.

    + Como renegociar dívidas para terminar o ano no azul

    Portabilidade de crédito: como fazer

    Em suma, a portabilidade de crédito é na realidade uma transferência da dívida para um banco que oferece mais vantagens.

    #1. Economia

    Economizar uma grana é sempre necessário. Afinal, todo mundo tinha que ter aquela reserva para não ser pego desprevenido com alguma situação.

    Os bancos buscam cada vez mais oferecer melhores condições aos seus clientes e algumas vezes isso acontece por meio de vantagens para quem tem a pretensão de economizar.

    Por esse motivo, é bom estar sempre ligado nas oportunidades que eles oferecem para migrar o empréstimo pessoal e financiamentos.

    As economias podem até facilitar no pagamento antecipado das prestações de um contrato atual.

    Homem fazendo cálculos em um caderno com várias notas de dinheiro
    Assumir um empréstimo pode ser uma decisão financeira saudável para trocar dívida cara

    #2. Unir as dívidas

    Busque transferir seus contratos de empréstimos ou financiamento para um banco específico.

    Isso auxiliará você a sempre lembrar das datas de vencimento dos boletos que precisa pagar e será melhor para
    que mantenha sempre um controle de suas finanças.

    Todos os problemas serão resolvidos em apenas um lugar e isso facilita muito.

    #3. Liberação de margem consignável

    Quando falamos de empréstimo consignado, a margem consignável significa o valor limite que pode ser comprometido com empréstimos e/ou cartões de crédito com desconto em folha de forma mensal.

    Sendo assim, a margem disponível irá diminuir conforme o aumento do valor das parcelas mensais.

    O que pode acontecer é que ao fazer essa troca da dívida menor no lugar de outra com juros menores, a margem também pode ser liberada.

    Com isso, há mais chances de tomar um novo empréstimo, já que esse geralmente também é um dos critérios para a contratação.

    Pague primeiro as dívidas com juros mais altos

    Parece óbvio, mas muitas pessoas, quando estão endividadas, não sabem mais como administrar as contas ou qual a melhor forma de quitar dívidas. No entanto, quando se questionar sobre qual a melhor forma de quitar dívidas, priorize as com os juros mais altos.

    Isso porque a tendência é que essas se tornem a famosa “bola de neve”, aumentando mensalmente e anualmente e fazendo com que você fique mais endividado. Portanto, anote todas suas dívidas, avalie as que têm juros mais altos e pague primeiro.

    Agora que aprendeu como trocar dívida cara, pretende fazer isso com alguma das suas contas? Comente abaixo!

    O que achou disso?

    Média da classificação 4 / 5. Número de votos: 2

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?