Tudo sobre como investir em CDB e LCI

Escrito por: Tamires Silva em 16 de dezembro de 2019

Antes de investir em CDB e LCI é preciso saber o que pretende realizar com o dinheiro poupado e o que essas siglas significam.

Entender esses investimentos é importante justamente para saber se realmente são as aplicações mais indicadas para o seu caso, a depender do objetivo financeiro que tem em mente.

Sabendo isso, é hora de partir para a ação. Muitas vezes investir pode parecer muito difícil. Mas é pelo simples fato de que não estamos acostumados.

Quanto antes você começar a poupar seu dinheiro em boas aplicações, mais cedo vai notar que não é tão complicado quanto parece. Aliás, CDB e LCI são boas indicações para quem quer investir sem arriscar muito.

Por isso, FinanceOne preparou este artigo sobre como investir em CDB e LCI, que são investimentos de renda fixa, da melhor forma. Nele você vai encontrar:

. Por que CDB e LCI são investimentos de renda fixa?
. O que são os CDB’s e LC’s? Qual a diferença?
. Como investir em CDB e LCI
. 10 itens para saber antes de investir em CDB e LCI

Como investir em CDB e LCI
Saiba como investir em CDB e LCI e descubra sobre essas aplicações

Por que CDB e LCI são investimentos de renda fixa?

“A vida inteira você viu pessoas pedindo dinheiro emprestado do banco e pagando juros por isso. O que você não sabia é que pode emprestar dinheiro para o banco e ele te devolver esse dinheiro com juros. O nome disso é renda fixa.”

A frase é de Nathalia Arcuri, dona do maior canal de finanças do mundo no Youtube, além de jornalista e especialista em finanças pessoais.

Tanto CDB quanto LCI são investimentos de renda fixa, geralmente procurados por investidores mais conservadores, que não estão dispostos a arriscar muito.

A principal diferença entre CDB e LCI é que o segundo tem isenção do cobrança de Imposto de Renda. No caso do CDB, é descontado o imposto sobre o rendimento.

Então, se você está procurando uma aplicação que lhe dê alguma estabilidade e segurança, procure esse tipo de investimento.

Outro tipo muito famoso de renda fixa é o Tesouro Direto, para quem está começando com pouco dinheiro.

Leia também – 5 aplicações indicadas para investidores iniciantes

O que são os CDB’s e LC’s? Qual a diferença?

Absorver a noção básica sobre renda fixa é o primeiro passo para entender os CDB’s e LC’s. São muitas siglas, mas vamos focar naquelas que são tema deste artigo: CDB e LCI.

CDB – Certificado de Depósito Bancário – é quando o banco pega dinheiro emprestado de você para repassar a outras pessoas.

A diferença em relação à poupança é que o CDB tem imposto de renda sobre o rendimento, debitado automaticamente quando o dinheiro volta para a corretora.

Neste caso, quanto mais tempo seu dinheiro fica investido, menor é o imposto que você paga sobre ele. Por isso, quando for investir em CDB, vale a pena um bom planejamento a longo prazo.

O CDB é semelhante ao LC, sigla para Letra de Câmbio. Este segundo, porém, ao invés de ser emitido por bancos, é emitido por instituições financeiras.

Mas não confunda LC com LCI e LCA – também semelhantes entre si. Confira:

LCI – Letra de Crédito Imobiliário e LCA – Letra de Crédito Agropecuário – é quando a instituição financeira pega dinheiro emprestado com você para emprestar para negócios do setor Agropecuário (LCA) ou Imobiliário (LCI).

Saiba como investir em CDB e LCI

O CDB é um título no qual o investidor realiza uma espécie de empréstimo para o banco em troca de uma rentabilidade diária. É possível investir no CDB do próprio banco onde seu dinheiro está depositado.

Porém, há a opção de comprar um título através de uma corretora de valores, tendo acesso a mais opções. O cadastro nas corretoras, geralmente, é feito gratuitamente.

O CDB pode ser prefixado ou pós-fixado. No primeiro, há uma taxa prefixada e o investidor sabe desde o início quanto receberá ao final do prazo.

Entretanto, ao investir em um CDB pós-fixado, o valor pago depende de um indexador (Selic, TR). Neste caso, o investidor não sabe o valor exato de resgate, pois a rentabilidade depende da variação dessas taxas.

No LCI é possível investir com segurança por meio do banco ou de uma corretora de valores. No segundo caso há mais opções de títulos para comparar vantagens.

Esse tipo de título tem rentabilidade anual, definida no momento da compra, e vencimento estabelecido. Por isso não é indicado, por exemplo, se seu objetivo é montar uma reserva de emergência.

Ao investir em LCI, você tem uma ideia do rendimento até o prazo final no momento da compra.

Ao contrário do CDB, no LCI o investidor fica isento do Imposto de Renda. Mas é importante estar atento a outras possíveis taxas.

Especialistas em finanças orientam que os investidores, ao comprarem títulos em corretoras, deem preferência para aos emitidos por instituições de pequeno e médio porte.

Acontece que elas pagam mais. Mas é importante ficar atento à garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que protege correntistas e investidores.

Ele permite a recuperação de até R$250 mil em depósitos ou créditos em instituições financeiras, caso ela venha a falir. Assim, você diminui o risco.

10 itens para saber antes de investir em CDB e LCI

Para investir em CDB ou LCI no seu banco, procure o gerente ou se informe pelos canais de atendimento. No caso das corretoras, é preciso escolher uma que seja de confiança e realizar o cadastro, geralmente gratuito.

Investir não é um bicho de sete cabeças, mas fazer isso sem informação pode custar caro. Por isso, antes de aplicar qualquer valer procure se manter informado e pesquise sobre as melhores opções para o seu objetivo.

Confira uma lista com dez itens para se lembrar antes de aplicar seu dinheiro em título CDB ou LCI:

#1 LCI e CDB são investimentos mais indicados para objetivos de médio e longo prazos;

#2 Ao investir veja se está no limite de R$250 mil do FGC (Fundo Garantidor de Crédito);

#3 Observe o rating ou classificação de risco da instituição do investimento e valorize as que têm as melhores avaliações;

#4 Ao investir em LCI, você não poderá resgatar antes do prazo estipulado;

#5 Quanto mais tempo seu dinheiro ficar investido, mais você ganhará;

#6 Verifique se tem o valor mínimo exigido para aplicação no título, ele pode variar;

#7 Não esqueça de verificar as taxas e impostos que podem ser cobrados;

#8 Observe a liquidez da aplicação, ou seja, em quanto tempo você poderá ter o dinheiro de volta;

#9 Evite investir sem ter em mente uma meta para o dinheiro poupado;

#10 Descubra qual é o seu perfil de investidor antes de escolher um tipo de aplicação.

Tamires Silva

Jornalista atuando como repórter e produtora de conteúdo. Produz conteúdo para internet desde 2015.

Deixe uma resposta

Posts relacionados

Dólar a quase R$6
Fundos Imobiliários
previdência privada
investimentos para começar com 100 reais
Fundos Imobiliários