Conversor de moedas

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Latam - Ofertas Imperdíveis

Quem tem mais chances de conseguir um empréstimo no Brasil?

Escrito por: Mateus Carvalho em 3 de abril de 2019

Se você está com dívidas e quer quitá-las pegando um empréstimo, saiba que essa pode ser uma boa solução em relação ao cheque especial.

Porém, nem sempre é possível conseguir um, e o que fazer nessas horas? Quem tem mais chances de conseguir um empréstimo no nosso país?

O empréstimo é uma das formas mais procuradas para conseguir crédito. Além de ser uma opção considerada de fácil acesso.

Mas, será que existe um perfil de quem tem mais chances de conseguir um empréstimo? É isso que veremos a seguir.

quem-tem-mais-chances-de-conseguir-um-empréstimo

O site FinanZero, que é um buscador de empréstimos, levantou o perfil das pessoas que têm mais chance de conseguir crédito no mercado.

De acordo com a pesquisa, têm mais chances de conseguir um empréstimo no Brasil:

– Funcionários de empresas privadas ou empresários;

– Pessoas casadas;

– Aqueles que têm casa financiada;

– Quem tem pós-graduação;

– Quem tem conta corrente com cheque especial.

O levantamento foi feito com 80 mil pessoas que fizeram um pedido de empréstimo no FinanZero e que foram aprovadas por pelo menos uma das empresas parceiras do site.

Outra informação retirada da pesquisa é que a maioria das pessoas que conseguem o empréstimo usa o dinheiro para realizar uma viagem.

Mas, se o seu pedido de empréstimo não é aprovado, saiba que existem diversos motivos para que uma solicitação seja recusada pelos bancos e financeiras.

Isso porque a análise de risco é realizada por todas as instituições. Porém, essas razões são estratégicas para as empresas e quase nunca ficam claras.

Alguns dos motivos que fazem as instituições financeiras negarem o pedido é a falta de informações sobre o cidadão, ter nome sujo, baixa capacidade de pagamento e até mesmo o histórico de mau pagador.

Perfil de quem tem mais chances de conseguir empréstimo

De acordo com a pesquisa, 30% dos funcionários privados têm o pedido de empréstimo aprovado. Enquanto entre os funcionários públicos, são 27%.

Já para os profissionais liberais, somente 22% conseguem o empréstimo. Dos aposentados, 20% têm o pedido aceito, e somente 19% dos autônomos conseguem a aprovação no banco.

Outro fator levado em conta na hora de as instituições aceitarem um pedido de empréstimo é o estado civil.

Nesse contexto, 28% dos casados conseguem o crédito. Já os divorciados são 27%, e os solteiros, 23%. Enquanto os viúvos aparecem com 21% na lista.

O tipo de residência também é um fator importante para quem solicita crédito nas instituições financeiras.

As pessoas que têm as melhores taxas de aprovação para obter empréstimos são as que possuem casa financiada, com 35%.

Em segundo lugar estão aquelas que têm casa própria, com 26%. Casa familiar, com 24%, e imóvel alugado, com 24%, estão entre os casos com mais dificuldades e restrições.

Grau de instrução também influencia

Analisando o perfil de quem solicita empréstimo, a pesquisa mostrou que os pós-graduados se destacam, com 44%.

Aqueles que são graduados são representados por 33%, enquanto 22% têm segundo grau completo.

Para quem tem o primeiro grau, 19% conseguem o crédito, enquanto somente 17% dos que não têm instrução formal são aprovados.

Os mais bem-sucedidos para obter a aprovação de crédito são pessoas que possuem conta corrente com cheque especial, com 42%.

Somente 19% dos que têm conta salário conseguem empréstimo, enquanto 16% dos que têm poupança conseguem a aprovação.

Em geral, foram aprovados pelas instituições financeiras:

– 42% dos que pretendem usar o dinheiro para viajar;

– 39% dos que querem realizar cirurgias estéticas;

– 30% dos que querem comprar ativos;

– 27% dos que querem reformar a casa;

– 24% dos que querem pagar dívidas.

Motivos para não conseguir empréstimo

Uma das condições básicas para solicitar um empréstimo é ter mais de 18 anos e ser titular de uma conta no banco.

Porém, a rejeição do pedido de crédito pode ter vários motivos, como já dito anteriormente.

A primeira delas é que toda instituição financeira avalia o pedido de crédito com uma pontuação que diferencia o cliente com mais chances de pagar do que tem maior risco de não pagar.

Essa pontuação é o score, que leva em consideração informações pessoais. Além de utilizar estatísticas próprias para o banco definir se irá ou não conceder o empréstimo solicitado.

Mas vale ressaltar que os critérios utilizados pelos bancos são sigilosos e estratégicos.

CPF que mostra dívida a ser paga

Se o banco identifica um CPF negativado, o sinal já fica vermelho.

Sendo assim, se você está com o nome negativado há uma grande chance de o seu pedido de crédito ser negado. Isso vai acontecer até que a pendência seja regularizada.

Neste caso, se você conseguir o empréstimo, a aplicação de juros será bem elevada, devido ao seu nome estar negativado.

A economia do Brasil

O cenário econômico do país também influencia na dinâmica de empréstimos praticada pelos bancos.

Se a economia não está bem, é comum que as instituições financeiras concedam menos empréstimos, o que diminui o risco delas.

Isso porque com a possibilidade da alta do desemprego e com a desvalorização de imóveis, a chance de a inadimplência crescer é grande.

Falta de garantias

Esse é mais um fator que pode diminuir as chances de conseguir um empréstimo.

Alguns bancos levam em conta a oferta de alguma garantia, mesmo para aqueles que têm condições de pagar a solicitação do crédito.

Em situações em que as pessoas não podem pagar, os imóveis são usados como garantias.

Mateus Carvalho

Jornalista formado pela Unicarioca. Atualmente, repórter da Folha Dirigida e produtor de conteúdo no FinanceOne. Já fui colaborador do Torcedores.com.

Deixe uma resposta

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

Ter um seguro para a casa
regras para cancelamento de viagem
C6 Bank é o mais novo banco digital do Brasil
plano de saúde